Vênus flytrap: como cultivar a planta carnívora mais espetacular do mundo que livra você de insetos

Condividi su Whatsapp Condividi su Linkedin

A ‘armadilha de Vênus’ é uma das plantas carnívoras mais comuns em apartamentos, além de ser uma valiosa ajuda na luta contra os irritantes insetos. Vamos descobrir a origem e as características desta planta em particular e todos os truques para tratá-la melhor em casa.

Origem da planta e seu nome

O nome científico de Vênus flytrap é Dionaea muscipula, chamada aqui de dioneia, outro nome para Vênus (ou Afrodite em grego) – um epíteto que significa “filha de Dione”: os primeiros estudiosos que a observaram a acharam tão bonita que a associaram à deusa do amor e de beleza – obviamente ignorando seu perigo. É uma planta de origem americana (típica das Carolina do Norte e do Sul), mas também se difundiu na Europa como planta de casa.

É caracterizada por pequenos pares de folhas claras com filamentos finos na borda externa que se fecham como dois arcos de dentes, quebrando ao menor toque. A planta também é enriquecida por alguns botões, que no verão se abrem em pequenas flores brancas em forma de estrela. Como planta carnívora, a dioneia se alimenta de pequenos insetos (mosquitos e moscas) que ficam presos em suas folhas e digeridos para obter nitrogênio, potássio, fósforo e outros oligoelementos. É, portanto, uma planta capaz de resistir mesmo em locais hostis à vegetação, em solos totalmente desprovidos de sais minerais essenciais para a sobrevivência das plantas normais.

O que Dioneia come?

Para atender às suas necessidades nutricionais, ela precisa de apenas 2-3 insetos por mês. Na verdade, mesmo que os longos filamentos que acompanham as folhas pareçam dentes, a dionea não ‘mastiga’ nem engole sua presa, mas leva muitos dias para assimilar os elementos nutritivos graças a enzimas especiais que consegue secretar e que destrói lentamente a infeliz presa. Para os insetos, é uma morte lenta e dolorosa.

Segundo estudo norteamericano porém, a dionea seria capaz de distinguir os insetos ‘para comer’ dos polinizadores, necessários à reprodução da própria planta (é uma abelha da espécie Augochlorella gratiosa, um besouro da espécie Trichodes apivorus  e de um besouro da espécie  Typocerus sinuatus): apesar de sua presença constante nas proximidades da planta, esses insetos não são atraídos para a armadilha mortal. Isso ocorre porque os insetos são atraídos por flores, e não por folhas perigosas, e as flores estão localizadas mais acima do que as armadilhas. Além disso, os cientistas levantaram a hipótese de que a dionea emite sinais químicos específicos que atraem insetos polinizadores para as flores e apenas essas, evitando que pousem nas folhas – mas essa hipótese ainda está sob investigação.

Cuidando da dioneia

  • Umidade! Como todas as plantas carnívoras, a dioneia também precisa de muita água. Por isso é bom manter a planta sempre úmida, de preferência com água destilada ou água da chuva. É uma boa ideia manter um pires cheio de água sob o vaso o tempo todo para manter a umidade constante. Mas também tome cuidado para não sobrecarregar a planta com água: o excesso de água favorece a proliferação de bactérias e fungos que podem representar um risco para sua saúde.
  • Luz, mas não muito. A dioneia adora a luz do sol: se tiver disponibilidade de um jardim ou terraço, é bom deixar a planta ao ar livre. Dentro do apartamento, em vez disso, coloque-a em um local claro, mas não diretamente exposto aos raios de sol.
  • Cuidado com a fase dormente! Depois do fim do verão, é bom tirar as folhas velhas e as armadilhas quando começam a escurecer. Vai parecer que a planta vai morrer, mas não está – é apenas uma longa hibernação. Para imitar as condições climáticas de seu ambiente natural, nos meses de inverno mova a planta para locais úmidos e frescos, como porões ou garagens.

venere-planta-carnivora

@Vitalij Sova/123rf.com

  • Cuide do renascimento da planta. Na primavera, novas folhas e novas flores aparecerão. Remova as flores para obter armadilhas maiores e mais fortes e manter a umidade do solo constante. Se decantar, use um solo turfoso ou musgoso.
  • Não ao fertilizante! Para alimentar a planta, não use esterco ou fertilizantes químicos, mas deixe-a se alimentar de insetos. Na natureza a dioneia é capaz de atrair insetos vivos para suas armadilhas, mas, se isso não for possível em um apartamento, insetos mortos também podem ser administrados à planta (disponível em lojas especializadas) que será cuidadosamente colocada no centro da armadilha.
  • Ativo, mas sem estresse. Mesmo que a curiosidade de ver a dioneia em ação seja grande, é bom resistir à tentação de estimular artificialmente a ativação da armadilha – talvez a tocando com os dedos ou um objeto. Seria uma fonte desnecessária de estresse para a planta e um desperdício de energia que poderia levar ao seu enfraquecimento.
Condividi su Whatsapp Condividi su Linkedin
Nascida e criada em São Paulo, é publicitária formada pela Faculdade Cásper Líbero e Master em Programação Neurolinguística. Trabalha como redatora publicitária, redatora de conteúdo e tradutora de inglês e espanhol. Apaixonada por animais e viagens, morou no Canadá e no Uruguai, e não dispensa uma oportunidade de conhecer novos lugares e culturas.
Você está no Facebook?

Curta as mais belas fotos, dicas e notícias!

Você está no Pinterest?

As fotos mais bonitas sempre contigo!

Siga no Facebook
Siga no Pinterest