Clima: como reduzir o seu impacto no meio ambiente

Condividi su Whatsapp Condividi su Linkedin

Você lava muito suas calças jeans? Quando viaja de avião, são viagens longas?  Quantas vezes por semana você come carne? Desperdiça frutas e legumes?

Nossos  hábitos de consumo e escolhas individuais impactam diretamente o nosso planeta.

A designer industrial holandesa Babette Porcelijn percebeu que, apesar de ser especialista na cadeia produtiva de produtos industrializados, não entendia exatamente qual era o impacto do seu estilo de vida no planeta. Então ela começou a se informar e hoje nos dá aula sobre como diminuir a nossa pegada ambiental.

“Meu marido me contou que os 16 maiores navios porta-contêineres do mundo juntos emitem a mesma quantidade de enxofre que todos os carros que circulam no mundo! E que perdíamos cerca de 27 milhões de árvores por dia por causa do desmatamento”, disse à BBC News Brasil. Isso mudou minha maneira de ver nosso impacto ambiental, porque eu achava que estávamos fazendo um ótimo trabalho, pelo menos aqui na Holanda”.

A principal revelação da pesquisa, conta Porcelijn, que depois se transformou no livro liro Hidden Impact (“Impacto oculto”, em tradução livre) é que “o maior impacto ambiental não é causado exatamente pelos carros que dirigimos ou pelo ar-condicionado das casas e, sim, por produtos que consumimos — livros, eletrônicos, roupas, alimentos.

O que é considerado impacto?

O que Porcelijn considera como impacto é composto de elementos como uso da água e da terra, desmatamento, mineração e processamento de matérias-primas, esgotamento de recursos naturais, perda de biodiversidade, emissões de gases de efeito estufa, lixo e uso de combustíveis fósseis.

“O que eu quero fazer é monitorar todo o sistema e incluir todo tipo de impacto. Não só no clima, mas também na natureza, na biodiversidade, todo tipo de poluição”, explica.

“Eu não conseguia encontrar esses dados em lugar nenhum, o que achei muito esquisito. É esse o tipo de coisa que queremos e precisamos saber. Eu tive que ir muito fundo na pesquisa e contratei empresas especializadas para me ajudar.”

Para calcular o impacto da carne, por exemplo, é preciso levar em conta a produção de alimento para o gado e o desmatamento causado para criar o pasto.

A holandesa hoje se dedica em tempo integral a projetos de consultoria e análises de impacto ambiental. Seguimos aqui alguns ensinamentos e passamos as principais dicas para você.

  • Calças Jeans – deve-se considerar a água utilizada na produção de algodão e também na lavagem do tecido. Portanto, compre menos e lave somente quando necessário.
  • Frutas e legumes em conserva ou transformados em molhos, como o tomate, podem ter menos impacto ambiental do que os frescos.
  • Pior do que embalagem plástica, é o desperdício. A embalagem de produtos delicados, como tomate, por exemplo, pode ser boa porque evita o desperdício.
  • Mais de um terço da comida produzida nunca chega ao seu prato. No caso das frutas, legumes e verduras, a perda chega a 50% das colheitas. Por isso, as conservas, que têm perda menor– acabam sendo mais vantajosas para o meio ambiente.
  • Não desperdice alimentos: sua pegada ecológica pode diminuir até de 15% para comida em geral e até 17% considerando só os vegetais.
  • Procure comprar frutas e legumes com origem de até 2 mil quilômetros de distância, para diminuir o impacto do transporte.
  • Compre produtos perto do vencimento, para evitar que o supermercado jogue no lixo.
  • Compre somente o que precisa, e procure brechós. Muitos deles vendem peças e artigos praticamente novos.
  • Deixe de comer carne. Da forma que consuminos hoje, precisaremos de 4 terras para sustentar nosso estilo de vida. É mais importante parar (ou reduzir muito) de comer carne do que deixar de ter um carro.
  • Faça compostagem, plante árvores, invista em energia renovável e apoie financeiramente organizações ambientais.
  • Consuma menos. Roupas sintéticas poluem menos na hora da fabricação, mas quando são lavadas liberam microplásticos na água.

Mas não se assuste tentando mudar drasticamente de um dia para o outro. A holandesa ainda dá uma última dica para nos acostumarmos a ajudar o meio ambiente:

O truque é: mesmo que você ainda faça tudo o que normalmente faz, faça menos. Por exemplo, pode comer a metade de uma porção de carne, e não essas enormes. Ou não comer todo dia, mas só uma vez por semana”, diz.

Fonte: terra

Condividi su Whatsapp Condividi su Linkedin
Nascida e criada em São Paulo, é publicitária formada pela Faculdade Cásper Líbero e Master em Programação Neurolinguística. Trabalha como redatora publicitária, redatora de conteúdo e tradutora de inglês e espanhol. Apaixonada por animais e viagens, morou no Canadá e no Uruguai, e não dispensa uma oportunidade de conhecer novos lugares e culturas.
Você está no Facebook?

Curta as mais belas fotos, dicas e notícias!

Você está no Pinterest?

As fotos mais bonitas sempre contigo!

Siga no Facebook
Siga no Pinterest