Luzes de natal: aprenda a escolher as mais seguras

Condividi su Whatsapp Condividi su Linkedin

Ho Ho Ho … cuidado! Para quem ainda não percebeu, o Natal está chegando. As ruas, lojas e shoppings estão cheios de luzes para que sua casa pareça um deserto escuro. Você está com vontade de recuperar o atraso? Exagerado, muito desperdício de energia. Em casa, regulemo-nos com a quantidade certa de luzes para criar um ambiente romântico, sem excessos e sobretudo produtos seguros. Como fazer?

Em primeiro lugar, partamos da consideração de que as correntes leves que adornam o nosso apartamento escondem um pequeno sistema eléctrico, por isso sobretudo é importante que sejam seguras. Apesar disso, nos últimos anos tem existido um verdadeiro mercado de produtos falsificados ou manufaturados sem ter em conta os requisitos de segurança em vigor na União Europeia.

O principal risco é que sobreaqueçam e provoquem um incêndio, também favorecido pela inflamabilidade da árvore. Lembre-se, portanto, de não deixar as luzes acesas quando não estiver em casa.

Aqui estão algumas dicas para a compra e uso seguro de luzes de Natal:

  • não compre produtos de origem duvidosa ou de revendedores não qualificados. Inspecione cuidadosamente a embalagem, certificando-se de que esteja intacta e, uma vez aberta, que os fios estejam bem isolados. Verifique também se não há marcas pseudo C.
  • Prefira sempre produtos certificados por uma marca de segurança (IMQ, por exemplo), que garante que o produto está em conformidade com os requisitos de segurança europeus
  • verifique se o produto possui a marca registrada, o nome do fabricante / importador, a marcação CE no rótulo, se está equipado com instruções em italiano e se possui a especificação se for um produto de uso interno e / ou externo
  • lembre-se de que as cadeias leves destinadas ao uso externo devem ser equipadas com um certo grau de proteção (abreviatura IPXX) contra agentes atmosféricos externos. Podem ser classificados como protegidos contra chuva (IPX3), respingos (IPX4), jatos d’água (IPX5) ou estanques (IPX7). Em geral, para ter certeza de que a corrente é adequada para uso externo, você deve verificar se a marcação da corrente não contém a especificação “somente para uso interno”
  • melhor escolher luzes de baixa tensão (24 V), com fonte de alimentação separada. Desta forma, não há risco de eletrocussão e o risco de incêndio é reduzido
  • é bom preferir luzes LED, que não aquecem e resistem melhor à umidade e vibrações
  • nos modelos em que está prevista a troca de lâmpadas queimadas ou defeituosas – portanto não as de led -, lembre-se que devem ser trocadas apenas por lâmpadas do mesmo tipo e da mesma tensão, fornecidas com a corrente, para evitar superaquecimento
  • prepare uma tomada para cada ficha e, caso não seja possível, utilize várias tomadas , que, se utilizadas no exterior, devem ser protegidas
  • para pendurar ou consertá-las, evite usar ganchos de metal
  • se você estiver reutilizando as luzes do ano passado, inspecione cuidadosamente a condição do plugue, do fio e das próprias luzes
Condividi su Whatsapp Condividi su Linkedin
Jornalista freelance, nascida em 1977, formada com honras em Ciência Política, possui mestrado em Responsabilidade Corporativa e Ética e também em Edição e Revisão.
Você está no Facebook?

Curta as mais belas fotos, dicas e notícias!

Você está no Pinterest?

As fotos mais bonitas sempre contigo!

Siga no Facebook
Siga no Pinterest