Veja por que você não deve fazer seu próprio protetor solar

Condividi su Whatsapp Condividi su Linkedin

Os filtros solares caseiros não oferecem proteção adequada e não protegem a pele de possíveis danos dos raios solares.

autoprodução de cosméticos intriga e fascina cada vez mais as pessoas que compartilham suas receitas do faça-você-mesmo: esfoliantes, sabonetes, óleos perfumados enchem os fóruns das redes sociais.

Preparar cosméticos com as próprias mãos é uma atividade divertida e fascinante, mas para alguns produtos a autoprodução é fortemente desencorajada.

Um produto que seria melhor não autoproduzir é o protetor solar. Na verdade, os produtos solares caseiros são arriscados porque seu nível de proteção não é testado, não sendo possível saber se são eficazes ou não.

Uma pesquisa publicada no jornal Health Communication descobriu que a maioria das receitas de protetor solar compartilhadas no Pinterest não oferece proteção solar adequada, expondo a pele a erupções, queimaduras solares e consequências ainda mais graves.
À medida que as taxas de câncer de pele aumentam, o uso de protetor solar eficaz é a chave para reduzir a incidência de cânceres causados ​​pelo sol.

O que contém um protetor solar e por que ele não deve ser feito em casa

Os filtros solares são geralmente cremes de emulsão ou leites contendo água, óleos e manteigas e claramente um filtro solar. O protetor solar deve proteger contra os raios UVB e UVA.

Os filtros solares podem ser classificados em físicos ou químicos: os físicos refletem a luz solar, enquanto os químicos modificam o comprimento de onda dos raios solares, transformando-os em raios de luz inofensivos à pele.
Os filtros físicos ou reflexivos são, por exemplo, óxido de zinco, caulim, carbonato de magnésio, enquanto os filtros UVB e UVA são moléculas orgânicas complexas.

Por que não basta adicionar essas substâncias a um creme caseiro para fazer um protetor solar? Por que a eficácia de um protetor solar deve ser testada em laboratório: não é possível avaliar em casa se o protetor solar faça você mesmo garante uma proteção adequada. Os testes são realizados com equipamentos e instrumentos que permitem avaliar o quanto os raios solares são refletidos ou modificados pelos filtros solares: uma operação impossível de se fazer em casa.

Muito sol faz mal para a pele

sistema solar inclui os raios UVA, UVB e UVC: apenas os raios UVA e UVB atingem a Terra, enquanto os raios UVC são retidos na camada de ozônio.
Dependendo do comprimento de onda e da energia, os raios solares causam reações diferentes em nossa pele.

Por exemplo, os raios UVB, penetrando na epiderme, causam eritema, pigmentação da pele (bronzeamento) e espessamento do estrato córneo.
Já os raios UVA são responsáveis por reações de fotossensibilização na presença de algumas moléculas chamadas fotossensibilizadores, com formação de queimaduras e manchas. Os raios UVA também causam degeneração das fibras elásticas após exposição prolongada ao sol.
Excluindo a reação graças à qual o colesterol presente nas membranas da epiderme se transforma em vitamina D graças à presença do sol, as outras reações da pele ao sol são defensivas e vão desde eritema, bronzeamento, até bronzeamento desidratação.

Em caso de exposição excessiva e prolongada ao sol , a pele pode desenvolver neoplasias como basaliomas e melanomas.

excesso de radicais livres produzidos durante a exposição ao sol pode danificar as células e causar câncer de pele.

Para que servem os filtros solares?

Cada um de nós, quando exposto ao sol, tem uma reação diferente, com base no tipo de pele ou fotótipo.
Aqueles com pele muito clara ficarão vermelhos e terão eritema imediatamente ou após menos de trinta minutos, enquanto aqueles com pele mais escura podem durar até 45 minutos ao sol antes de desenvolver um eritema.

Como o bronzeamento passou a ser sinônimo de beleza e bem-estar, e como o bronzeamento é geralmente precedido pelo aparecimento de eritema, surgiu a necessidade de desenvolver produtos solares que evitassem o eritema.

O filtro solar prolonga o tempo de exposição ao sol antes do aparecimento de um eritema, protegendo assim a pele dos efeitos nocivos da radiação solar.
A escolha do protetor solar certo é essencial para se proteger do sol e, para isso, você precisa avaliar seu tipo de pele.

nível de proteção de um protetor solar é expresso pelo FPS (Fator de Proteção contra Queimadura Solar), normalmente indicado nas embalagens dos produtos de proteção solar: varia de no mínimo 6 a no máximo 50+. Valores abaixo de 6 não garantem proteção solar, enquanto “proteção total” não existe. Durante a primeira exposição ao sol, deve-se usar protetor solar com alto valor de FPS, independentemente do tipo de pele.

O protetor solar deve ser usado toda vez que você se expor ao sol e o creme deve ser aplicado várias vezes ao dia na praia ou na piscina.

Condividi su Whatsapp Condividi su Linkedin
Jornalista freelance com especialização em editoração, comunicação, multimídia e jornalismo. Em 2011 ganhou o prêmio Dear Director e em 2013 recebeu o prêmio Jounalists in the Grass, devido à sua entrevista com Luca Parmitano.
Você está no Facebook?

Curta as mais belas fotos, dicas e notícias!

Você está no Pinterest?

As fotos mais bonitas sempre contigo!

Siga no Facebook
Siga no Pinterest