Bolsonaro traz coração de Dom Pedro I ao Brasil, a exemplo do que fez a ditadura com os ossos do imperador

Condividi su Whatsapp Condividi su Linkedin

O coração de Dom Pedro I, primeiro imperador do Brasil, chegou a Brasília. O mórbido órgão desembarcou no país atendendo aos pedidos do governo de Jair Bolsonaro, que ficou com a responsabilidade de organizar as celebrações dos 200 anos de independência brasileira de Portugal.

O órgão do monarca estava conservado há 187 anos em formol em Portugal, onde Dom Pedro I faleceu. O coração é mantido pelo sarcófago da Igreja da Lapa, no Porto.

Dom Pedro I abandonou o posto de imperador do Brasil em 1831, quando voltou às terras lusas para assumir o título de imperador português, onde cunhou seu nome de Pedro IV. Três anos depois, ele faleceu.

O imperador se tornou um símbolo da Independência do Brasil por ter sido o responsável por declarar a separação entre o Rio de Janeiro e Lisboa.

O pedido do governo Bolsonaro foi autorizado pelas autoridades do Porto, onde o órgão estava conservado e guardado. Contudo, há muita preocupação a respeito do uso do órgão no exterior. Um encarregado do governo do município português deve acompanhar o coração durante todos os seus usos para garantir a conservação sob boas condições de temperatura e pressão.

Ditadura também trouxe restos mortais de Dom Pedro ao Brasil 

Não é a primeira vez que isso ocorre. Em 1972, durante as celebrações de 150 anos da independência, o governo militar de Médici trouxe os ossos de Dom Pedro para as festas.

Apesar de autorizada de forma unânime, muitos portugueses estranharam a decisão do governo Bolsonaro.

“Me parece algo até necrófago e nada tem ver com o futuro das novas gerações. Principalmente, me parece que enviar o coração serve aos intentos de Bolsonaro, em plena pré-campanha eleitoral. Acho que se Dom Pedro fosse vivo, estaria dando voltas no túmulo e ia querer ficar com seu coração agarrado a si”,

afirma o sociólogo João Teixeira Lopes, da  Faculdade de Letras do Porto.

O governo defende o legado de Dom Pedro I.

“É com satisfação que nos reunimos como parte das comemorações para receber essa relíquia que mostra a força de nosso primeiro imperador”,

disse na cerimônia de apresentação do órgão o ministro Paulo Sérgio Nogueira, Ministro da Defesa do país.

O coração de Dom Pedro I deve voltar para os sarcófagos da Igreja da Lapa em 8 de setembro, um dia depois do aniversário da Independência do Brasil.

Fonte: MSN

Condividi su Whatsapp Condividi su Linkedin
Nascida e criada em São Paulo, é publicitária formada pela Faculdade Cásper Líbero e Master em Programação Neurolinguística. Trabalha como redatora publicitária, redatora de conteúdo e tradutora de inglês e espanhol. Apaixonada por animais e viagens, morou no Canadá e no Uruguai, e não dispensa uma oportunidade de conhecer novos lugares e culturas.
Você está no Facebook?

Curta as mais belas fotos, dicas e notícias!

Você está no Pinterest?

As fotos mais bonitas sempre contigo!

Siga no Facebook
Siga no Pinterest