Sol azul e céu amarelo: Pequim novamente sob uma tempestade de areia e a poluição dispara

Condividi su Whatsapp Condividi su Linkedin

A segunda em duas semanas: uma assustadora tempestade de areia voltou a Pequim, que inverteu as cores do céu, transformando o sol em azul e o céu em amarelo. A cidade acordou na manhã de domingo envolta em poeira espessa com níveis extremamente elevados de partículas perigosas

De acordo com Zhang Linna, meteorologista-chefe da estação municipal, esta situação, caracterizada por fortes ventos e poeira densa, durará mais de 12 horas, mas será menos intensa do que a tempestade de areia registrada em 15 de março.

A tempestade de areia foi alimentada pelos ventos da Mongólia – onde as temperaturas relativamente mais altas nesta primavera e a redução das chuvas produziram áreas maiores de terra nua – e do noroeste da China. A Administração Meteorológica chinesa emitiu um alerta amarelo na sexta-feira, avisando que uma tempestade de areia chegaria da Mongólia nas províncias do norte da China, incluindo Mongólia Interior, Shanxi, Liaoning e Hebei, que cercam Pequim.

tempesta-areia-pequino

©Reuters

Exatamente como da última vez, essa tempestade também fez com que os níveis de poluição do ar saltassem para um nível máximo de 500, de acordo com o índice de qualidade do ar em tempo real de Pequim. Os níveis de poluentes PM10 ultrapassaram 2 mil microgramas por metro cúbico. Os níveis de PM2.5, partículas menores que podem entrar na corrente sanguínea, chegaram a 462.

A tempestade causou caos nos aeroportos da Mongólia Interior, nem é preciso dizer, com mais da metade dos voos cancelados nos aeroportos de Baotou e Chifeng devido à pouca visibilidade.

O norte e o noroeste da China experimentaram menos neve e chuva este ano, e as temperaturas desde fevereiro estão mais altas, levando a um clima ainda mais empoeirado, levantado por ventos mais fortes do que o normal. De acordo com especialistas, as temperaturas médias na Mongólia e no norte da China foram cerca de 6°C acima do normal para março. O norte da China há muito sofre com tempestades de areia, já que os desertos da região se espalharam mais ao sul também devido ao desmatamento. É por essa razão que Pequim plantou uma “grande parede verde” de árvores para prender a poeira que entra, além de tentar criar corredores de ar que canalizam o vento e permitem que a areia e outros poluentes passem mais rapidamente.

Fonte: Reuters

Condividi su Whatsapp Condividi su Linkedin
Jornalista freelance, nascida em 1977, formada com honras em Ciência Política, possui mestrado em Responsabilidade Corporativa e Ética e também em Edição e Revisão.
Você está no Facebook?

Curta as mais belas fotos, dicas e notícias!

Você está no Pinterest?

As fotos mais bonitas sempre contigo!

Siga no Facebook
Siga no Pinterest