Na luta contra a pobreza, start-up sul-africana entrega comida em troca de lixo

Condividi su Whatsapp Condividi su Linkedin

Você já imaginou que caixas de papelão, latas e garrafas podem salvar comunidades inteiras da fome? É o que acontece graças à start-up sul-africana LOCK (Love Our City Klean), que oferece a centenas de locais a possibilidade de coletar e trocar o lixo reciclável por uma moeda digital para comprar alimentos e gêneros básicos.

Os “limpadores” podem usar essa moeda em uma “loja de trocas” para comprar alimentos e produtos essenciais. Para muitas pessoas, este projeto representa uma verdadeira tábua de salvação, num país onde, devido à pandemia, 3 milhões de cidadãos perderam os seus empregos e 1 em cada 5 pessoas passa fome.

O projeto disponibiliza, para quem quiser fazer parte, um cartão com um código de barras único, que serve para carregar os seus “pontos de reciclagem”.

“Eu não sabia sobre reciclagem, mas esse projeto nos ensinou a pescar para que possamos nos alimentar. ” Foi o que disse Ngalula, 42, enquanto separava sua carga de papelão em um armazém improvisado em Lorentzville, um subúrbio na cidade do interior da África do Sul.

“Eu não sei o que eu teria feito de outra forma”, continuou a mulher, que era empregada doméstica, até perder o emprego por conta do bloqueio da emergência sanitária.

Instituições de caridade, empresas e o governo lançaram programas de alimentação, cozinhas populares, hortas comunitárias e distribuição de cupons de alimentos para ajudar a alimentar milhões de pessoas afetadas pelo desemprego.

Mas a start-up queria encontrar uma solução sustentável que, por um lado, permitisse que as pessoas recebessem alimentos e, por outro, melhorasse o meio ambiente limpando a cidade.

O LOCK vende os materiais coletados para depósitos maiores ou centros de recompra privados e esse dinheiro é usado para financiar campanhas de conscientização direcionadas à metrópole.

As pessoas que passaram por uma avaliação rigorosa para medir seu grau de necessidade são inscritas no “cadastro de carentes” da Secretaria de Desenvolvimento Social da cidade.

Condividi su Whatsapp Condividi su Linkedin
Nascida e criada em São Paulo, é publicitária formada pela Faculdade Cásper Líbero e Master em Programação Neurolinguística. Trabalha como redatora publicitária, redatora de conteúdo e tradutora de inglês e espanhol. Apaixonada por animais e viagens, morou no Canadá e no Uruguai, e não dispensa uma oportunidade de conhecer novos lugares e culturas.
Você está no Facebook?

Curta as mais belas fotos, dicas e notícias!

Você está no Pinterest?

As fotos mais bonitas sempre contigo!

Siga no Facebook
Siga no Pinterest