Cop26, sucesso ou fracasso? O que foi decidido até agora (e o que ainda não)

Condividi su Whatsapp Condividi su Linkedin

O capítulo dois de Glasgow: quem está presente na COP26 abriu ontem a segunda semana de negociações. Mas nenhum acordo foi alcançado ainda nos setores de carnes e laticínios

Decisões? No meio. Protestos. Vários. Comunidades indígenas? Ausente. Parece que um século se passou desde que os poderosos do G20 jogaram a moeda na Fonte de Trevi e com a mesma graça eles se mudaram com grande fanfarra para Glasgow na Conferência das Partes das Nações Unidas.

Vamos falar de clima”, disseram a si próprios. E, quase forçados, eles começaram a conversar pelo mundo.

Eles fizeram alguma coisa? Talvez. Em 6 de novembro chegou-se a um acordo sobre os 4 bilhões a serem alocados para a agricultura sustentável e, finalmente, o tema da alimentação foi inaugurado no topo. As indústrias agroalimentares são responsáveis ​​por até 35 % das emissões globais de CO2 e a COP26 deve levar a sua eliminação em meados do século.

Mas ainda não se chegou a um acordo nos setores de carnes e laticínios, apesar de, por exemplo, o próprio presidente da COP26, o ministro britânico Alok Sharma , definir a opção por comer menos carne uma questão “pessoal” e segundo Para um grupo de cientistas que trabalham com mudanças climáticas, o Comitê de Mudanças Climáticas, deve cortar o consumo de carne em 35 % até 2050, substituindo parte da dieta por produtos de origem vegetal.

No entanto, o consumo de carne e fazendas continua sendo o grande ausente do debate.

O que foi decidido até agora na COP26?

  • 40 países se comprometeram a sair do carvão. Eles não assinaram Austrália, Índia, China e Estados Unidos
  • parar o desmatamento: 134 países prometem acabar com a prática até 2030;
  • o Banco Mundial alocará US $ 25 bilhões anualmente para a transição ecológica
  • 4 bilhões de dólares serão destinados à agricultura sustentável: o compromisso foi assumido por 45 governos
  • compromisso de financiamento à África do Sul: EUA, Reino Unido, França, Alemanha e União Européia destinam 8,5 bilhões para a transição ecológica do país
  • acordo contra o financiamento da indústria fóssil: 25 países, incluindo a Itália, comprometem-se a interromper todos os projetos por eles financiados no exterior em combustíveis fósseis até o final de 2022
  • acordo sobre a redução das emissões de gás metano: 105 países concordam em reduzi-las em 30% até 2030. Polônia, Hungria, República Tcheca, Eslováquia, Áustria, Letônia, Lituânia e Romênia não assinam na UE
Condividi su Whatsapp Condividi su Linkedin
Jornalista freelance, nascida em 1977, formada com honras em Ciência Política, possui mestrado em Responsabilidade Corporativa e Ética e também em Edição e Revisão.
Você está no Pinterest?

As fotos mais bonitas sempre contigo!

Você está no Facebook?

Curta as mais belas fotos, dicas e notícias!

Siga no Facebook
Siga no Pinterest