No dia dedicado à igualdade de gênero, “Pequeno Amal” chega à Cop26 e traz sementes de esperança

Condividi su Whatsapp Condividi su Linkedin

A marionete símbolo de todos os refugiados e pessoas deslocadas chega à Conferência das Partes em Glasgow no dia para refletir sobre o impacto da crise climática para homens e mulheres

Antes do início do trabalho, as duas trocaram presentes: a ativista deu a Amal uma flor, símbolo de luz e esperança, enquanto Amal (cujo nome em árabe significa “esperança”) retribuiu com um saco de sementes – para simbolizar o papel dos participantes na Conferência das Partes : semeadores do futuro do Planeta. Além das sementes, Amal deu aos participantes da COP26 uma carta aberta, escrita pela organização não governamental Avaaz e assinada por quase dois milhões de pessoas em todo o mundo, pedindo um corte imediato nas emissões.

Amal foi criada pela Handspring Puppet Company (África do Sul) e iniciou sua longa jornada em 27 de julho passado de Gaziantep, uma cidade turca não muito longe da fronteira com a Síria. Ela fez, com a ajuda dos voluntários que a carregavam nos ombros, a mesma jornada que milhares de refugiados fazem todos os anos – muitos deles são muito jovens.

A crise climática atinge (principalmente)  mulheres

Hoje, os holofotes da COP26 estão focados acima de tudo nas mulheres e na igualdade de gênero. A crise climática tem um impacto maior nas camadas da população, em todos os países, que mais dependem dos recursos naturais para sua sobrevivência e / ou que têm menor capacidade de resistir e reagir a desastres naturais como furacões, secas, inundações . De acordo com a UNICEF, mais mulheres do que homens enfrentam os riscos e impactos das mudanças climáticas em situações de pobreza , e a maioria dos pobres do mundo são mulheres. Além disso, a participação injusta das mulheres na política e na tomada de decisões frequentemente as impede de desempenhar um papel ativo no combate às mudanças climáticas e ao aquecimento global.

É por isso que o UNICEF convida o mundo da política a reconhecer a importância fundamental de envolver mulheres e homens igualmente no desenvolvimento das políticas climáticas em nível nacional e a estabelecer um item da agenda da COP26 dedicado à igualdade de gênero nas mudanças climáticas.

Fontes: Reuters / Unicef

Condividi su Whatsapp Condividi su Linkedin
Com 25 anos e licenciada em Línguas Estrangeiras. Sempre esteve atenta às questões ambientais e visando um estilo de vida eco-sustentável. No seu pequeno caminho tenta minimizar a pegada ambiental com escolhas responsáveis, respeitando a natureza que a cerca.
Você está no Facebook?

Curta as mais belas fotos, dicas e notícias!

Você está no Pinterest?

As fotos mais bonitas sempre contigo!

Siga no Facebook
Siga no Pinterest