Estudo confirma que Brasil tem aumento constante de temperatura em 90 anos e chuvas cada vez mais extremas

Condividi su Whatsapp Condividi su Linkedin

Normais são médias históricas meteorológicas apuradas em longos períodos e representam as características do clima em um local. O último levantamento compreende o intervalo entre 1º de janeiro de 1991 e 31 de dezembro de 2020.

“A atualização e acompanhamento das normais climatológicas são extremamente importantes para o agronegócio, risco climático de seguros agrícolas, mercado financeiro, setor de geração de energia, entre outros”, informa o Inmet.

São Paulo, uma das maiores cidades do mundo, registra também dados mais contundentes das alterações climáticas. Moradores enfrentaram temperaturas mínimas até 2,7 °C mais elevadas em alguns meses. A chuva excessiva na capital paulista quase duplicou e são mais de três vezes maiores para os de 100 mm, cenário que se intensificou desde a década de 1990.

Segundo o Inmet, os resultados de elevação de temperatura podem estar associados à variabilidade natural, ao aquecimento global e à urbanização das cidades.

“De todo modo, o fator antropogênico (ação humana) é a causa mais provável das mudanças climáticas”, aponta o órgão. “Os extremos estão superando a resiliência de alguns ecossistemas e sistemas humanos, e desafiando as capacidades de adaptação de outros, incluindo impactos com consequências irreversíveis. Pessoas e sistemas humanos vulneráveis e espécies e ecossistemas sensíveis ao clima estão em maior risco”, completa.

O estudo comprova o aumento gradativo de temperaturas no Brasil ao longo das últimas décadas, em todas as regiões do Brasil.

Temperaturas mínimas

Em uma das capitais mais quentes do País, Cuiabá (MT), o Inmet aponta “claramente uma elevação da temperatura mínima quando comparados aos períodos de 1931-1960 com 1991-2020 em todos os meses do ano”. Em outubro, por exemplo, a variação chega a 1,6° °C.

A elevação da temperatura mínima em São Paulo, ou seja, durante a madrugada, ocorreu em todos os meses do ano e foi de, no mínimo, 1,6°C, com pico de 2,7°C em julho e abril.

Médias

Em Brasília (DF) cuja medição começou em 1961, um ano após a fundação da capital, o Inmet destaca a alta nas temperaturas médias em todos os meses do ano. Em outubro, a elevação  passou de 21,6°C nos anos comparados anteriormente (1931-1960 e 1991-2020) para 23,1°C.

Em Belo Horizonte (MG) observa-se uma elevação de até 1,7°C de temperatura média nos meses de julho e dezembro.

Até Curitiba, a capital com o clima mais ameno do País, está mais quente. A temperatura média de julho, mês mais frio do ano, foi de 13,8°C no período mais recente, 0,9°C acima da média em relação ao período de 1961-1990, de 12,9°C.

Máximas

Fortaleza (CE), na região mais quente do país, sofreu com aumento das temperaturas máximas em todos os meses. Até 1,2C em agosto e setembro.

Chuvas extremas

Os efeitos da ação humana e da urbanização no clima fizeram crescer a quantidade de dias de temporais , aquels acima de 80 milímetros (mm) e 100 mm.

Além disso, houve mudança no ciclo em algumas regiões, com a migração entre os meses com maior acumulado de chuvas. Agora chove muito em pouco tempo, aumentando o período de estiagem.

Fonte: msn

Condividi su Whatsapp Condividi su Linkedin
Nascida e criada em São Paulo, é publicitária formada pela Faculdade Cásper Líbero e Master em Programação Neurolinguística. Trabalha como redatora publicitária, redatora de conteúdo e tradutora de inglês e espanhol. Apaixonada por animais e viagens, morou no Canadá e no Uruguai, e não dispensa uma oportunidade de conhecer novos lugares e culturas.
Você está no Pinterest?

As fotos mais bonitas sempre contigo!

Você está no Facebook?

Curta as mais belas fotos, dicas e notícias!

Siga no Facebook
Siga no Pinterest