As florestas absorvem 1/3 das emissões de CO2 produzidas pelo homem, mas estamos literalmente “comendo”

Condividi su Whatsapp Condividi su Linkedin

Elas retêm 861 bilhões de toneladas de carbono e a cada ano absorvem cerca de um terço das emissões antrópicas de dióxido de carbono, evitando seu acúmulo na atmosfera: são as florestas maravilhosas , que também produzem oxigênio e regulam o regime de chuvas. Mas eles também estão severamente ameaçados pela crise climática.

As 36 bilhões de toneladas de CO2 liberadas a cada ano na atmosfera devido às atividades humanas levaram até agora a um aumento de cerca de 1,1°C na temperatura média global e, no balanço, não será possível limitar o aquecimento global. a + 1,5°C até meados do século – conforme exigido pelo Acordo de Paris – sem preservar a capacidade das florestas e outros ecossistemas naturais, como savanas e pântanos, de absorver grandes quantidades de CO2 da atmosfera.

O novo relatório do WWF , publicado por ocasião do Dia Internacional das Florestas hoje 21 de março, foca na importância das florestas para o clima , “ Desmatamento e mudanças climáticas: o impacto do consumo nos sistemas naturais ” e criado tendo em vista a Hora do Planeta , a mobilização global do WWF para a natureza e o clima.

Considerando que as árvores são compostas por cerca de 20% do seu peso de carbono, parte do CO2 absorvido pelas florestas por meio da fotossíntese é reemitido para a atmosfera quando as árvores são cortadas . Dessa forma, de parte da solução, as florestas passam a ser parte do problema: o desmatamento representa a segunda fonte humana de CO2 , com até 8 bilhões de toneladas de CO2 emitidas todos os anos de 2000 até hoje, período em que bem 10 % da área florestal do mundo. Além dos problemas relacionados ao clima, o desmatamento coloca em risco a sobrevivência dos povos indígenas que dependem estritamente desses ecossistemas e causa a perda do habitat de muitas espécies animais e vegetais, muitas vezes causando sua extinção.

florestas_wwf

WWF

De acordo com o relatório do WWF, quase 90% do desmatamento global se deve à expansão da agricultura. As fazendas de gado junto com as plantações de óleo de palma, soja, cacau, borracha, café e madeira foram responsáveis ​​por 57% do desmatamento relacionado à agricultura entre 2001 e 2015, tirando uma área de floresta tão grande quanto a Alemanha.

Nesse contexto, a União Europeia é o segundo maior importador mundial desses produtos, gerando com seus hábitos de consumo enormes impactos nas florestas tropicais de todo o planeta, mas também nas pastagens, pântanos, savanas e todos aqueles ecossistemas ricos em biodiversidade que são destruídas para dar lugar a lavouras, plantações e pastagens.

Não podemos mais permitir que nosso consumo gere impactos tão fortes nos ecossistemas e é preciso ter consciência das implicações que cada uma de nossas ações tem no planeta. Só em 2017, a UE causou 16% do desmatamento associado ao comércio internacional de matérias-primas – diz Isabella Pratesi, Diretora de Conservação do WWF Itália. Estamos literalmente “comendo” as florestas do planeta, ampliando assim os impactos das mudanças climáticas que poderíamos mitigar protegendo os ecossistemas naturais e restaurando os degradados.

Hora do Planeta 2022

Sábado, 26 de março, às 20h30, regressa a Hora do Planeta, a Hora da Terra, a iniciativa global do WWF que, através do gesto simbólico de apagar as luzes durante uma hora, convida todos a mobilizarem-se para um futuro mais seguro, justo e sustentável. Serão milhares de praças, monumentos e lugares simbólicos que se extinguirão no mundo.

AQUI você encontra o relatório completo.

Fonte: WWF

Condividi su Whatsapp Condividi su Linkedin
Jornalista freelance, nascida em 1977, formada com honras em Ciência Política, possui mestrado em Responsabilidade Corporativa e Ética e também em Edição e Revisão.
Você está no Pinterest?

As fotos mais bonitas sempre contigo!

Você está no Facebook?

Curta as mais belas fotos, dicas e notícias!

Siga no Facebook
Siga no Pinterest