Na Itália, região da Lombarida declara estado de emergência devido à seca

Condividi su Whatsapp Condividi su Linkedin

Usar o recurso hídrico de forma extremamente econômica, sustentável e eficaz, limitando seu consumo ao mínimo” . Assim, o Presidente da Região Lombardia Attilio Fontana assinou o decreto com o qual, “pela grave situação de défice hídrico que afecta o território e em prol da população, do ambiente e das actividades produtivas em causa”, declara o estado de lei regional de emergência que vigorará até o próximo dia 30 de setembro.

Além disso, a Região disponibiliza aos prefeitos dos Municípios da Lombardia um esquema de portaria sobre economia de água e limitações para o uso de água potável, recomendando sua adoção. De facto, o decreto recomenda que os Municípios da Região limitem ao máximo a utilização de água potável para actividades para as quais a sua utilização não seja necessária (como lavagem de ruas, rega de parques públicos e instalações desportivas como futebol, ténis ou campos de golfe).

Decreto da Lombardia para a seca e fontes alternativas

De acordo com o decreto, além disso, é necessário dar aos órgãos competentes a possibilidade de implementar “ ações úteis para conter e reduzir as consequências da crise hídrica em curso, incluindo a ativação, sempre que possível, de fontes alternativas de abastecimento de água ”.

E ainda “estabelecer que: nas bacias hidrográficas da Lombardia as utilidades de irrigação concedidas, tanto em relação às águas superficiais como às subterrâneas, devem ser administradas com parcimônia; em particular, de forma a assegurar a máxima exploração do recurso hídrico de rega disponível, os concessionários dos utilizadores de rega irão dar prioridade ao serviço de rega tendo em conta as culturas e a sua fase fenológica”.

Uso cuidadoso dos recursos

As concessionárias de utilizadores de rega terão de avaliar “a ativação de campanhas de sensibilização junto dos seus consorciados para a utilização prudente dos recursos hídricos visando a satisfação das reais necessidades de rega das culturas” e “todos os utilizadores de rega sujeitos às obrigações de monitorização previstas pela DGR 6035/2016 terá de aumentar a frequência de transmissão de dados para o Centro de Dados de Águas e Território Rural que gere o sistema de monitorização regional. Os dados relativos às retiradas e vazões lançadas nos cursos d’água devem ser transmitidos semanalmente ao Centro de Dados de Águas e Território Rural que os compartilha com a ARPA Lombardia”.

Condividi su Whatsapp Condividi su Linkedin
Jornalista freelance, nascida em 1977, formada com honras em Ciência Política, possui mestrado em Responsabilidade Corporativa e Ética e também em Edição e Revisão.
Você está no Pinterest?

As fotos mais bonitas sempre contigo!

Você está no Facebook?

Curta as mais belas fotos, dicas e notícias!

Siga no Facebook
Siga no Pinterest