Energia nuclear: o calor recorde está bloqueando a produção de energia na França e na Suíça

Condividi su Whatsapp Condividi su Linkedin

O calor extremo também está comprometendo as usinas nucleares europeias: devido à onda de calor anômala, a produção de energia atômica está em baixa na França e na Suíça, que correm o risco de ter que fechar os reatores.

As altas temperaturas da água ameaçam reduzir a já excepcionalmente baixa produção nuclear da França, pressionando o operador da EDF em um momento em que metade de seus reatores está offline devido a problemas de manutenção e corrosão.

A situação temida na primavera, portanto, não melhorou, pelo contrário: o calor recorde das últimas semanas que está deixando metade da Europa de joelhos, força a França e a Suíça a cortar a produção de reatores nucleares cortar a produção para poder manter temperaturas estáveis.

O aumento da temperatura da água no Garonne, o grande rio no sudoeste da França, forçará novas reduções na produção de duas usinas no rio Ródano nos próximos dias, quando as temperaturas devem aumentar.

Tudo isso se soma ao fato de que o parque nuclear da França já praticamente caiu pela metade desde uma série de paralisações neste inverno, com metade de seus 56 reatores atualmente indisponíveis. Dos 61,3 GW de energia nuclear teoricamente disponíveis na França, a potência das usinas operacionais caiu para menos de 30 GW apenas em 2 de abril, quando o reator Chinon 1 passou por manutenção anual, antes de subir para 31,3 GW em 2 de abril.

Pelas mesmas razões,  as autoridades locais também estão tomando decisões semelhantes na Suíça: aqui, a usina de Beznau usa o rio Aare e em breve limitará a capacidade de produção dos dois reatores, que normalmente produzem cerca de 6.000 gigawatts-hora de eletricidade por ano.

A Suíça produz cerca de 30% de sua eletricidade a partir de suas três usinas nucleares. O governo suíço decidiu em 2011 eliminar gradualmente a energia nuclear após o desastre de Fukushima no Japão. A ideia inicial era interromper a geração de energia nuclear até 2034, tanto que a usina de Mühleberg está sendo desativada.

Fonte: Reuters

Condividi su Whatsapp Condividi su Linkedin
Jornalista freelance, nascida em 1977, formada com honras em Ciência Política, possui mestrado em Responsabilidade Corporativa e Ética e também em Edição e Revisão.
Você está no Facebook?

Curta as mais belas fotos, dicas e notícias!

Você está no Pinterest?

As fotos mais bonitas sempre contigo!

Siga no Facebook
Siga no Pinterest