Em uma semana os jatos particulares do Fórum Econômico Mundial poluíram o equivalente a 350.000 carros

Condividi su Whatsapp Condividi su Linkedin

Hoje em dia, as pessoas mais ricas e poderosas do planeta estão em Davos para o Fórum Econômico Mundial (WEF) para discutir questões cruciais como a crise climática e as desigualdades a portas fechadas. Mas você sabe como eles chegaram lá? Usando jatos particulares, o meio de transporte mais desigual e poluente.

Segundo a ativista Greta Thumberg, na verdade o Fórum reúne “as pessoas que mais alimentam a destruição do planeta, é um absurdo ouvi-los”. Agora, uma pesquisa encomendada pelo Greenpeace International revela outra peça preocupante: o número de voos em jatos particulares de e para os aeroportos próximos a Davos durante a última edição do Fórum dobrou. Dos aeroportos que serviram a estância suíça durante o WEF 2022 aterraram e partiram cerca de 1040 jatos privados , gerando emissões de CO₂ quatro vezes superiores às atribuídas em média a este tipo de aeronaves nas restantes semanas do ano.

Estima-se também que cerca de um em cada dez participantes na última edição do encontro viajou em jato particular. O impacto climático foi, portanto, enorme: em apenas uma semana, jatos particulares causaram emissões de CO₂ iguais às emissões médias de 350.000 carros no mesmo período de tempo.

Um paradoxo não é? A pesquisa explica que dos  mais de 1.000 jatos particulares  que voaram para Davos durante o WEF 2022, 53% eram voos de curta distância de menos de 750 km, que poderiam facilmente ter sido feitos de trem ou carro, enquanto os 38% viajaram ultra- distâncias curtas de menos de 500 km. O voo mais curto registrado foi de apenas 21 km. Quais os países com mais chegadas e partidas nos aeroportos de Davos? Alemanha, França e Itália. Houve um total de 116 voos de e para aeroportos italianos, com 43 deles com menos de 250 km.

Como já dissemos várias vezes, os jatos particulares são um meio de transporte ultrapoluente. 80% da população mundial nunca voou antes, mas ainda sofre com as consequências das emissões que alteram o clima.

“Se o Fórum de Davos realmente quer demonstrar o compromisso de alcançar os objetivos do Acordo de Paris, deveria, de uma vez por todas, acabar com a hipocrisia e o inaceitável desperdício de energia dos voos privados”, escreve o Greenpeace pedindo ao governo italiano para proibir jatos particulares e garantir um futuro verde

ASSINE A PETIÇÃO AQUI

Fonte: Greenpeace

Condividi su Whatsapp Condividi su Linkedin
Jornalista profissional, possui graduação em Ciência Política e máster em Comunicação Política. Se preocupa especialmente com temas sociais e direitos dos animais.
Você está no Pinterest?

As fotos mais bonitas sempre contigo!

Você está no Facebook?

Curta as mais belas fotos, dicas e notícias!

Siga no Facebook
Siga no Pinterest