Na costa do Chile, pássaros estão construindo ninhos com resíduos plásticos

Condividi su Whatsapp Condividi su Linkedin

Antes, os cormorões de pata-vermelha usavam algas, penas e guano para construir seus ninhos, mas hoje, suas casas são feitas de lixo plástico. Um novo artigo publicado na revista Marine Pollution Bulletin narra o que está acontecendo ao longo da costa do Atacama, no norte do Chile. Na Baía de Mejillones, uma cidade portuária, o lixo plástico é abundante e está afetando o modo de vida dos animais. Porque não existe apenas o problema da poluição marinha.

“Esta pode ser a colônia mais contaminada do mundo”, disse Ana García-Cegarra, professora de biologia da Universidade de Santo Tomás Antofagasta e autora do estudo sobre corvos-marinhos em parceria com a organização sem fins lucrativos Centro de Vida Selvagem Marinha e Observação de Baleias. “Estudos constataram que 80% dos ninhos de uma colônia eram de plástico. Vimos que em 151 ninhos, 100% eram de plástico”.

Fotos tiradas pelos pesquisadores mostram que os cormorões constroem seus ninhos com sacos plásticos, equipamento de pesca de náilon e lonas industriais. A poluição está desmantelando os ecossistemas oceânicos e costeiros e talvez só agora estejamos percebendo isso.

chile-ninhos-plasticos

@Centro di osservazione della fauna marina e delle balene

Os detritos plásticos afetam a sobrevivência de inúmeras espécies, como as aves marinhas. Vários estudos relatam que o plástico sufoca animais, mas poucos descrevem a presença desse material em ninhos.

“Aqui relatamos evidências de que a colônia de cormorões-de-pata-vermelha (Phalacrocorax Gaimardi) está usando plástico como material de nidificação em duas grandes instalações portuárias no norte do Chile”, diz o estudo.

Especificamente, a partir da amostragem dos ninhos, constatou-se que eles são compostos por 35% de sacolas industriais de polipropileno, sacolas plásticas (33%) e apetrechos de pesca (10%).

 “Só nos últimos cinco anos, mais ou menos, vimos uma onda de estudos que revelam a verdadeira extensão da quantidade de contaminação plástica em nosso planeta, com seus efeitos danosos em nossos oceanos”, disse Mauricio Urbino, zoólogo da Universidade de Concepcion, no Chile. “O preocupante é que, se não reduzirmos o uso do plástico agora, as coisas vão piorar.”

García-Cegarra explica que o plástico é perigoso para as aves, por isso muitos corvos-marinhos morrem ainda nos ninhos. As duas principais ameaças são as aves ficarem emaranhadas e morrerem de fome ou ingerir plástico e sufocar.

 “Quando esses pássaros ficam debaixo d’água, eles provavelmente coletam plástico do fundo do mar e o transferem para seus ninhos”, disse García-Cegarra.

 A região de Antofagasta onde está localizada a baía, é uma das mais ricas do Chile devido à grande quantidade de indústrias extrativas. Mejillones, cerca de 40 milhas ao norte da capital regional, era historicamente uma pequena vila de pescadores que começou a crescer em 1800.

“Nossos maus hábitos de consumo de plástico afetam toda a fauna marinha, atingindo agora os ninhos de pássaros, as profundezas do oceano e chegando até à nossa mesa pelos peixes que o ingerem”, disse García-Cegarra. “Precisamos agir agora e reduzir nosso consumo de plástico”.

Fonte: Research Gate

Condividi su Whatsapp Condividi su Linkedin
Jornalista profissional, possui graduação em Ciência Política e máster em Comunicação Política. Se preocupa especialmente com temas sociais e direitos dos animais.
Você está no Facebook?

Curta as mais belas fotos, dicas e notícias!

Você está no Pinterest?

As fotos mais bonitas sempre contigo!

Siga no Facebook
Siga no Pinterest