35 elefantes resgatados de um circo veem grama pela primeira vez

Condividi su Whatsapp Condividi su Linkedin

Nova vida para 35 elefantes asiáticos que, depois de anos passados ​​em um circo, finalmente puderam desfrutar da liberdade. Os paquidermes foram resgatados do Circo Ringling and Barnum & Bailey (felizmente fechado permanentemente), onde eram forçados a se apresentar todos os dias até a exaustão. O santuário White Oak Conservation na Flórida cuidará deles, administrado por uma organização sem fins lucrativos que cuida da conservação de espécimes que viveram em cativeiro.

Já chegaram 15 elefantes na reserva de aproximadamente 1.010 hectares, enquanto os demais chegarão nos próximos dias. E para os administradores do santuário, o momento em que os paquidermes avistaram árvores e pastagens foi emocionante.

“Ver os elefantes em seu habitat foi um momento incrível” – diz Nick Newby, que lidera a equipe de especialistas do santuário White Oak que lida com o bem-estar dos paquidermes – “Fiquei muito feliz em vê-los se moverem juntos e me tranquilizei ao se confortarem uns aos outros, assim como os elefantes selvagens, e depois saírem para explorar seu novo ambiente. Ver os elefantes nadando pela primeira vez foi fantástico “.

Para os fundadores do santuário, é uma grande honra oferecer uma oportunidade de redenção aos elefantes que viveram uma existência triste encerrados em um circo.

“Estamos entusiasmados em dar a esses elefantes um lugar para andar e explorar”, comentam os filantropos Mark e Kimbra Walter, que financiam o santuário. “Estamos trabalhando para proteger os animais selvagens em seus habitats nativos. Mas para esses elefantes que não podem ser resgatados, estamos felizes em oferecer a eles um lugar onde possam viver confortavelmente pelo resto de suas vidas. “

Para chegar à reserva, os elefantes fizeram uma longa viagem de caminhão de mais de 300 km, mas no caminho os paquidermes foram assistidos por veterinários.

Após uma fase inicial de acomodação, os elefantes foram guiados em direção à imensa floresta da reserva. O santuário, de fato, abriga uma rica vegetação com plantas, árvores frutíferas, lagoas e rios onde os elefantes podem se mover e finalmente voltar a viver.

Fonte: White Oak Conservation / Facebook

Condividi su Whatsapp Condividi su Linkedin
Nascida e criada em São Paulo, é publicitária formada pela Faculdade Cásper Líbero e Master em Programação Neurolinguística. Trabalha como redatora publicitária, redatora de conteúdo e tradutora de inglês e espanhol. Apaixonada por animais e viagens, morou no Canadá e no Uruguai, e não dispensa uma oportunidade de conhecer novos lugares e culturas.
Você está no Facebook?

Curta as mais belas fotos, dicas e notícias!

Você está no Pinterest?

As fotos mais bonitas sempre contigo!

Siga no Facebook
Siga no Pinterest