Pela primeira vez, uma macaca se torna a líder de seu grupo

Condividi su Whatsapp Condividi su Linkedin

No sul do Japão, uma macaca se tornou protagonista de uma revolução: ela organizou o que nós humanos chamaríamos de golpe, assumindo o controle de 677 macacos que vivem no zoológico de Takasakiyama. Nunca antes uma macaca se tornou líder desde que o parque japonês na ilha de Kyushu foi estabelecido.

E o fato de uma fêmea desta espécie (Macaca fuscata) assumir um grupo é uma ocorrência bastante rara. Por esta razão, os estudiosos estão agora monitorando a situação para ver se Yakei – este é o nome do bravo macaco de 9 anos de idade – será capaz de manter seu status.

O “golpe” de Yakei

A ascensão de Yakei ao poder não veio de repente. Os funcionários do parque já haviam percebido uma certa agressão já em abril passado, quando o macaco atacou sua mãe, tornando-se o líder do grupo de fêmeas. No final do verão Yakei também entrou em confronto com alguns machos, conseguindo mesmo impor-se a um macaco idoso (31 anos), que era o líder do grupo há cerca de 5 anos.

A partir desse momento Yakei tornou-se a “fêmea alfa” e, conforme contavam os guardas do parque aos microfones do Guardian, ela começou a mostrar os comportamentos característicos dos machos dominantes, por exemplo andando com a cauda levantada e sacudindo os galhos vigorosamente alguns árvores.

“Parece se comportar como um macho adulto e ser mais agressivo que outros exemplares”, explica Satoshi Kimoto, um dos guias do zoológico, povoado por cerca de 1.500 macacos que vivem na floresta que se ergue na montanha da reserva, mas infelizmente em semi-liberdade.

Mas quanto tempo durará o matriarcado de Yakei? Provavelmente em breve, de acordo com especialistas. A situação pode mudar novamente durante a época de acasalamento, que geralmente vai de novembro a março. E já parece haver outro macaco de 18 anos – chamado Luffy – interessado em tomar seu lugar. De acordo com relatos dos guardas do parque, Yakei parece assustada com a presença de Luffy, que está tentando tirar o melhor dela. Mas a última palavra ainda não foi dita. Pode ser apenas uma estratégia de namoro.

 

Fonte: the guardian 

Condividi su Whatsapp Condividi su Linkedin
Graduada em mídia, comunicação digital e jornalismo pela Universidade La Sapienza, ela colaborou com Le guide di Repubblica e com alguns jornais sicilianos. Para a revista Sicilia e Donna, ela tratou principalmente de cultura e entrevistas. Sempre apaixonada pelo mundo do bem-estar e da bio, desde 2020 escreve para a GreenMe.
Você está no Facebook?

Curta as mais belas fotos, dicas e notícias!

Você está no Pinterest?

As fotos mais bonitas sempre contigo!

Siga no Facebook
Siga no Pinterest