O que é que nos torna humanos? A resposta pode estar em um pedaço de DNA

Condividi su Whatsapp Condividi su Linkedin

Nosso DNA é muito semelhante ao dos ‘primos’ dos chimpanzés – mas como é que fomos capazes de produzir civilização, arquitetura e linguagem

O DNA humano é muito semelhante ao do chimpanzé que permanece, do ponto de vista evolutivo, nosso parente mais próximo – e isso sugere a descendência de um ancestral comum: cerca de 6 milhões de anos atrás, os caminhos evolutivos das duas espécies foram separados, dando à luz o chimpanzé moderno e o Homo Sapiens. Agora, um novo estudo conduzido na Universidade de Lund, na Suécia, tentou descobrir quais elementos de nosso DNA tornam nosso cérebro diferente do de nossos parentes chimpanzés.

Ao comparar as células de humanos e chimpanzés, descobriu-se que os últimos usam parte de seu DNA de maneiras diferentes das nossas – e essa seria a chave para as diferenças entre nós e eles. É uma variante estrutural do DNA até agora chamada de DNA-lixo pelos cientistas porque não parecia ter uma função precisa até agora, além de produzir proteínas. Mas são essas proteínas que fazem a diferença: evidentemente, na base da evolução do cérebro humano existem mecanismos muito mais complexos do que se pensava, e muitas respostas poderiam estar escondidas nesse “resíduo de DNA” até então ignorado pela ciência.

Em vez de estudar humanos e chimpanzés vivos, os cientistas observaram células-tronco desenvolvidas em laboratório e transformadas em células cerebrais – de acordo com uma técnica de pesquisa revolucionária desenvolvida há alguns anos no Japão (o pesquisador japonês que inventou este método de “reprogramação” de células-tronco , Shinya Yamanaka, ganhou o Prêmio Nobel de Medicina em 2012 por isso). Sem o auxílio dessa técnica, não teria sido possível realizar este estudo sem causar danos aos animais e humanos sendo observados.

Acredito que o cérebro é a chave para entender o que torna o ser humano ‘humano’ – explica Johan Jakobsson , um dos autores do estudo. – Como foi possível ao ser humano usar o cérebro a ponto de construir sociedade, manifestar cultura e arte, desenvolvendo tecnologias tão avançadas quanto as que hoje possuímos? Além disso, nosso estudo também pode contribuir para dar respostas às questões relativas a algumas patologias psiquiátricas, como a esquizofrenia, que parece pertencer apenas ao ser humano. Mas antes de chegarmos a essas respostas, ainda há um longo caminho a percorrer para decifrar as funções do DNA até agora não consideradas pela ciência.

Fonte: Cell Stem Cell

Condividi su Whatsapp Condividi su Linkedin
Com 25 anos e licenciada em Línguas Estrangeiras. Sempre esteve atenta às questões ambientais e visando um estilo de vida eco-sustentável. No seu pequeno caminho tenta minimizar a pegada ambiental com escolhas responsáveis, respeitando a natureza que a cerca.
Você está no Facebook?

Curta as mais belas fotos, dicas e notícias!

Você está no Pinterest?

As fotos mais bonitas sempre contigo!

Siga no Facebook
Siga no Pinterest