Sim, os astrônomos identificaram pela primeira vez um buraco negro em rápido crescimento no início do universo

Condividi su Whatsapp Condividi su Linkedin

O universo nunca deixa de surpreender e revelar surpresas e lados ocultos. Isso também se deve aos importantes avanços dados no campo das observações astronômicas e ao uso de instrumentos cada vez mais precisos e sofisticados.

Entre eles, é impossível não mencionar o Telescópio Espacial Hubble, gerenciado pela NASA, que nos últimos dias mostrou um raro exemplo de um buraco negro crescendo desde seu estágio primordial – talvez o elo perdido entre a formação das primeiras galáxias e o nascimento de buracos negros supermassivos que os cientistas estavam procurando.

O objeto, chamado GNz7q, é muito antigo: teria sido gerado “apenas” 750 milhões de anos após o Big Bang – quando o universo ainda estava em fase auroral. Por enquanto ainda o vemos envolto em sua nuvem espacial mas, mais cedo ou mais tarde, o buraco negro emergirá de seu casulo na forma de um intenso raio de luz no coração de uma galáxia primordial.

Nossa análise sugere que GNz7q é o primeiro exemplo de um buraco negro em rápido crescimento no núcleo empoeirado de uma galáxia starburst em uma época próxima ao primeiro buraco negro supermassivo conhecido no universo, explicou o astrônomo Seiji Fujimoto . – As propriedades do objeto em todo o espectro eletromagnético estão de acordo com as previsões de simulações teóricas.

buraco negro

@NASA

Até agora, de fato, buracos negros em rápida expansão dentro de galáxias primordiais foram hipotetizados por cientistas e imaginados por meio de simulações de computador, mas nunca observados na realidade. A observação do GNz7q pode ajudar a resolver um dos mistérios mais fascinantes da astronomia moderna, a saber: como os buracos negros supermassivos, que têm uma massa bilhões de vezes maior que a do Sol, podem se expandir tão rapidamente?

De acordo com as teorias atuais, os buracos negros supermassivos começam seu ciclo de vida dentro de nuvens de poeira de galáxias starburst , onde o processo que leva à formação de estrelas é extremamente repentino e violento. Embora extremamente raras, essas galáxias estelares empoeiradas e quasares brilhantes foram detectados no início do universo.

Fontes: NASA / ESA Hubble

Condividi su Whatsapp Condividi su Linkedin
Com 25 anos e licenciada em Línguas Estrangeiras. Sempre esteve atenta às questões ambientais e visando um estilo de vida eco-sustentável. No seu pequeno caminho tenta minimizar a pegada ambiental com escolhas responsáveis, respeitando a natureza que a cerca.
Você está no Facebook?

Curta as mais belas fotos, dicas e notícias!

Você está no Pinterest?

As fotos mais bonitas sempre contigo!

Siga no Facebook
Siga no Pinterest