Veja como proteger cães e gatos de pulgas e carrapatos

Condividi su Whatsapp Condividi su Linkedin

Dois dos maiores pesadelos para quem tem animais de estimação: pulgas e carrapatos. Muitas vezes, assume-se erroneamente que essa ameaça está limitada apenas aos meses de verão. Na realidade, devido à crise climática e consequente aumento das temperaturas, estes parasitas estão cada vez mais disseminados e resistentes mesmo na primavera.

Além de ser um grande incômodo para cães e gatos e causar ardência e coceira, pulgas e carrapatos podem causar doenças graves, que em alguns casos se revelam fatais. Como se sabe, essas pequenas criaturas penetram na pele dos animais e se alimentam de seu sangue. E através de sua saliva (à qual nossos amigos de quatro patas são muitas vezes alérgicos) podem transmitir patógenos que não devem ser subestimados, como endoparasitas, bactérias e protozoários. Então, o que podemos fazer para proteger nossos animais de estimação peludos? Dando-nos alguns conselhos valiosos está a veterinária de Lecce Anna Chiara Peluso, que também é nossa fiel leitora.

A única maneira de proteger os animais de estimação de doenças transmitidas por vetores conhecidas como VBD é usar pesticidas com propriedades repelentes; além disso, é importante escolher um produto que também seja eficaz contra ovos e larvas presentes no ambiente em que o animal vive. – explica Dr. Peluso – Existem muitos agrotóxicos no mercado, de muitas marcas e com diferentes formulações: pipetas spot-on, sprays, comprimidos e coleiras. Cada droga tem seu campo de ação, sua duração, sua eficácia, mas também seus limites. Por isso, é aconselhável consultar o seu veterinário para encontrar a solução mais adequada para o seu animal com base no seu grau de exposição aos riscos e no seu estilo de vida.

Como escolher um bom pesticida

Antes de comprar agrotóxicos, porém, é preciso considerar alguns fatores para evitar consequências, como aponta o especialista:

É muito importante prestar atenção ao alvo que cada medicamento possui e à dosagem. Muitos pesticidas que têm como alvo o cão são tóxicos e letais para os gatos, enquanto um medicamento usado para um animal adulto pode não funcionar bem em um animal prenhe ou ainda pior em um filhote. Existem também no mercado formulações à base de substâncias naturais que apresentam uma boa eficácia ladeada por uma maior segurança para o ser humano, para o próprio animal e para o ambiente.

O que fazer em caso de infestação de pulgas em seus animais de estimação?

Para controlar a infestação de pulgas é essencial tratar todos os animais que vivem juntos e não limitar os tratamentos ao período de verão, mas continuar ao longo do ano, pois as pulgas podem sobreviver e replicar-se muito bem em casa durante o período de inverno (presença constante de temperatura e umidade). – sublinha o veterinário – Os animais que vivem exclusivamente no apartamento também devem ser tratados (varandas, janelas, os nossos sapatos, são portas de entrada para parasitas e seus ovos).

Preste atenção na remoção de carrapatos e evite remédios caseiros

cão pulga carrapato

©mironovm/123rf

Se, por outro lado, nosso amigo de quatro patas foi atacado por carrapatos, é essencial tentar removê-los com muito cuidado, sem depender de remédios caseiros, que podem ser contraproducentes.

Se você encontrar a presença de carrapatos na pele do animal, deve ser lembrado que sua remoção é bastante complexa porque eles grudam tenazmente e também pode acontecer que o cão ou o dono retire o corpo do parasita deixando a cabeça preso na pele. – explica o Dr. Peluso – Neste caso, resta uma pequena ferida que pode dar origem a uma infecção local, uma úlcera ou um nódulo. Nunca use álcool ou outros remédios caseiros para remoção! O carrapato não deve ficar “estressado” durante o procedimento pois existe o risco de causar uma regurgitação do repasto sanguíneo e com ele também de patógenos se presentes nele! Portanto, é bom se você não for prático procurar a ajuda do veterinário. Também deve ser lembrado, se forem usados ​​pesticidas spot-on.

Condividi su Whatsapp Condividi su Linkedin
Graduada em mídia, comunicação digital e jornalismo pela Universidade La Sapienza, ela colaborou com Le guide di Repubblica e com alguns jornais sicilianos. Para a revista Sicilia e Donna, ela tratou principalmente de cultura e entrevistas. Sempre apaixonada pelo mundo do bem-estar e da bio, desde 2020 escreve para a GreenMe.
Você está no Facebook?

Curta as mais belas fotos, dicas e notícias!

Você está no Pinterest?

As fotos mais bonitas sempre contigo!

Siga no Facebook
Siga no Pinterest