Como cães e gatos: veja dicas para fazer seus pets se darem bem

Condividi su Whatsapp Condividi su Linkedin

Adotar um pet é uma decisão que vale a pena. Recebemos muito amor e um grande companheiro. Mas, e quando queremos ter mais do que um, como fica a convivência entre os pets? Ainda que a mesma espécie já possa ser complicado, os dilemas são ainda maiores quando lidamos com cães e gatos. 

Mas isso não é impecilho para adotar espécies diferentes, basta saber lidar. Vamos ver algumas dicas para ajudar você nessa tarefa.

Se o gato já era o dono do pedaço

O gatinho comandava o lar e de repente chegou um cachorro? Em um primeiro momento, espere reações bem diferentes dos felinos, porém saiba que é normal. A tendência é que eles fiquem mais escondidos e evitem qualquer tipo de contato com o cão. Se isso acontecer, respeito o momento, viu? Afinal, é tudo novo para os bichinhos.

Para facilitar essa convivência, a recomendação do veterinário é manter o cachorrinho no colo ou em uma guia, principalmente nos momentos de aproximação entre ambos.

“A dica para interação é colocar panos com o cheiro um do outro em locais estratégicos, como, por exemplo, colocar uma coberta do novo morador no espaço de refúgio do gato para ele se acostumar com sua presença”, indica.

Quando o cachorro chegou primeiro 

O novo inquilino é um gatinho? Melhor tomas alguns cuidados! Isso porque, a princípio, o cão deve estranhar e pode ficar até mais agressivo pela curiosidade de saber quem chegou no seu lar.

“Nesse caso, a dica é acostumá-los, mas com a ressalva de que os gatos podem demorar um pouco para se familiarizar com novo ambiente. No início, o ideal é que o bichano fique em um só cômodo e, quando estiver habituado, outros espaços devem ser liberados”, detalha Carlos.

5 dicas fundamentais para uma boa convivência entre os pets

Além das recomendações mais específicas, o médico preparou 5 dicas gerais para facilitar o momento entre cão e gato. Olha só:

  • Um espaço para cada bichinho! Assim, ninguém se sente invalidado nem ameaçado pelo outro;
  • Fique de olho no comportamento do pet anfitrião, ok? Nem sempre o ciúme é expresso pela agressividade: roer móveis, comer a ração do outro pet ou fazer as necessidades em locais não apropriados podem ser sinais de alerta;
  • Dose as atenções entre os animaizinhos para que todos se sintam amados, até mesmo os gatinhos que são mais independentes, mas ainda assim gostam de carinho;
  • A interação entre ambos deve ser leve e aos poucos, ou seja, comece com encontros curtos e vá aumentando a frequência conforme eles estejam confortáveis — vale oferecer petiscos se tudo for bem;
  • Sobretudo, tenha paciência! Respeite os sentimentos de cada pet e ofereça um ambiente harmônico para os dois, mostrando que eles podem ser amigos e viver bons momentos juntos.

É claro que também há casos em que cães e gatos são simplesmente inseparáveis. Isso acontecendo principalmente quando os dois são adotados quando filhotes, ao mesmo tempo.

Fonte: msn

Condividi su Whatsapp Condividi su Linkedin
Nascida e criada em São Paulo, é publicitária formada pela Faculdade Cásper Líbero e Master em Programação Neurolinguística. Trabalha como redatora publicitária, redatora de conteúdo e tradutora de inglês e espanhol. Apaixonada por animais e viagens, morou no Canadá e no Uruguai, e não dispensa uma oportunidade de conhecer novos lugares e culturas.
Você está no Pinterest?

As fotos mais bonitas sempre contigo!

Você está no Facebook?

Curta as mais belas fotos, dicas e notícias!

Siga no Facebook
Siga no Pinterest