Jólabókaflód, a bela tradição islandesa de dar livros no Natal para lerem juntos

Condividi su Whatsapp Condividi su Linkedin

Um rio na enchente, uma enchente, uma avalanche e finalmente não estamos falando de desastres ambientais, mas de livros! É precisamente o Jólabókaflód ( Jólabókaflóðið ), que é a tradição islandesa de dar livros de Natal. A maior parte dos títulos na Islândia são publicados em outubro e novembro e por isso, debaixo da árvore, trocamos o que mais nos enriquece: os livros . A Islândia é, portanto, o melhor lugar do mundo para amantes de livros  e o Natal é a melhor época do ano aqui.

Jólabókaflóðið não é um termo escolhido ao acaso, ele (assim como o seu homólogo inglês Christmas Book Flood) tem precisamente este significado imenso e poderoso: o de dar livros por tonelada! A palavra mágica deriva de: jól  (“Natal”) +  bok  (“livro”) e  Flod (“inundação, inundação”) e há mais de meio século indica este belo hábito de autênticos presentes feitos com o coração.

Essa tradição se consolidou durante a Segunda Guerra Mundial, em 1944, quando a Islândia se tornou independente da Dinamarca. O papel era uma das poucas mercadorias não racionadas na época, e os islandeses desenvolveram um grande amor pelos livros, uma vez que outros tipos de presentes eram praticamente escassos. Um amor que depois se traduziu no costume de presentear livros , tanto que, segundo estudo realizado pela Universidade de Bifröst em 2013, metade da população do país lê pelo menos oito livros por ano (portanto, não é surpreendente que a Islândia seja o terceiro país mais educado do mundo, depois da Finlândia e da Noruega).

Todos os anos, desde 1944, a Associação de Editores da Islândia publica um catálogo – denominado Bókatíðindi (Boletim do Livro) – que é enviado a todas as famílias do país em meados de novembro durante a Feira do Livro de Reykjavik e com o qual todos encomendam os livros para serem encontrados. sob a árvore por amigos e parentes.

tradição islandesa_livros no Natal

Os pacotes são abertos no dia 24 de dezembro e, por tradição, todos lêem logo os livros que acabaram de ganhar, muitas vezes tomando chocolate quente ou a cerveja natalina sem álcool, a jólabland.

A pequena ilha nórdica, em suma, com sua população de apenas 329 mil habitantes, é extraordinariamente literária e tem muito a nos ensinar. Eles adoram ler e escrever e, de acordo com um artigo da  BBC, “o país tem mais escritores, mais livros publicados e mais livros lidos, por pessoa, do que em qualquer outro lugar do mundo” e um em cada 10 islandeses publicará um livro antes ou mais tarde.

Seria essa tradição que ajudou a espalhar a semente mágica de um livro? Nós realmente acreditamos nisso e por que não começar conosco também? A partir deste Natal, vamos espalhar a maravilha da distribuição de livros!

Condividi su Whatsapp Condividi su Linkedin
Jornalista freelance, nascida em 1977, formada com honras em Ciência Política, possui mestrado em Responsabilidade Corporativa e Ética e também em Edição e Revisão.
Você está no Facebook?

Curta as mais belas fotos, dicas e notícias!

Você está no Pinterest?

As fotos mais bonitas sempre contigo!

Siga no Facebook
Siga no Pinterest