No Chile, uma mulher indígena torna-se presidente do Senado pela primeira vez

Condividi su Whatsapp Condividi su Linkedin

Seu nome é Yasna Provoste e ela acaba de se tornar presidente do Senado do Chile, a primeira mulher de origem indígena diaguita, um povo ancestral que vive no norte do país, a assumir um cargo tão importante e a terceira mulher a ocupar esse cargo.

Professora de educação física, Provoste já havia sido Ministra da Educação do Governo de Michelle Bachelet (presidente do Chile por dois mandatos não consecutivos e a primeira mulher a ocupar este cargo) e agora destaca quais serão as prioridades da agenda parlamentar: renda de base universal, uma reforma do código de águas, completar a lei de adoções e acertar o cancelamento de parte das dívidas associadas à educação universitária.

“Sou contra o governo do presidente Piñera, acredito que nosso país merece mais do que o governo dele. É por isso que farei todos os esforços que estão em nossas mãos para ajudar a alcançar a mais ampla unidade da oposição, para reconquistar a confiança do povo e construir um governo majoritário que atenda às necessidades do país”.

Provoste foi eleita para a presidência do Senado com 24 votos a favor, contra 17 sobre seu oponente, José García Ruminot.

“Assumo este dever como quem sou: mulher, professora, mãe e esposa, humanista e cristã, nascida em Vallenar, descendente de Diaguita e filha de uma família de trabalhadores de classe média”, declarou ao assumir o cargo.    

Bom trabalho Yasna!

Fonte: Senado Chile

Condividi su Whatsapp Condividi su Linkedin
Jornalista freelance, nascida em 1977, formada com honras em Ciência Política, possui mestrado em Responsabilidade Corporativa e Ética e também em Edição e Revisão.
Você está no Pinterest?

As fotos mais bonitas sempre contigo!

Você está no Facebook?

Curta as mais belas fotos, dicas e notícias!

Siga no Facebook
Siga no Pinterest