Ucrânia apreende toda a vodca feita de maçãs cultivadas perto da usina nuclear de Chernobyl

Condividi su Whatsapp Condividi su Linkedin

Apreensão máxima em Chernobyl: as autoridades ucranianas retiraram 1.500 garrafas de vodca Atomik-Apple Spirit, produzida pela Chernobyl Spirit Company. A bebida espirituosa da empresa é feita com maçãs cultivadas perto da usina nuclear, cenário do terrível acidente de 1986 pelo qual ainda estamos pagando . Os motivos do sequestro ainda não estão totalmente esclarecidos, como também podem ser lidos no site do empreendimento social criado para relançar a economia e apoiar as comunidades locais e a fauna da região.

“Estamos trabalhando muito para abrir um negócio para criar empregos e investir nas áreas da Ucrânia afetadas pelo desastre nuclear e para apoiar ainda mais a comunidade com 75% dos lucros que vêm da venda de álcool. Parece que eles nos acusam de usar selos ucranianos falsificados”- disse Jim Smith, um cientista britânico que passou muitos anos estudando a zona de exclusão de Chernobyl antes de fundar a empresa envolvida na produção de vodca Atomik. -“Mas isso não faz sentido já que as garrafas são destinadas ao mercado do Reino Unido e são claramente rotuladas com selos fiscais válidos do Reino Unido”. 

O compromisso da Chernobyl Spirit Company de apoiar os territórios mais afetados pelo desastre nuclear

O confisco dos produtos ocorreu em 19 de março durante uma investigação conduzida pelos serviços de segurança ucranianos, mas desde então tudo está envolto em mistério e as garrafas estão nos escritórios do governo em Kiev.

“Esperamos que esse problema possa ser resolvido para que possamos continuar nosso trabalho tentando ajudar as pessoas afetadas pelos devastadores impactos sociais e econômicos que o desastre nuclear de Chernobyl teve nas comunidades”, comentou Gennady Laptev, um dos sócios da Empresa Chernobyl Spirit.

Na verdade, pelo menos 75% dos lucros das vendas da vodca Atomik vão para as comunidades em áreas afetadas pelo desastre nuclear e projetos de conservação da vida selvagem.

Para fazer vodka, Smith e seus colegas usam maçãs cultivadas no distrito de Narodych, uma área fora da zona de exclusão, onde a agricultura ainda permanece severamente limitada. Mas os cientistas conseguiram provar que as maçãs são seguras para a produção de bebidas. A repentina apreensão de 1.500 garrafas de vodca, portanto, pegou a empresa de surpresa.

 “Este caso é um exemplo claro de violação da lei ucraniana pelos promotores de Kiev e pelos serviços de segurança ucranianos.” – destacou Elina Smirnova, advogada da Chernobyl Spirit Company – “Eles tinham como alvo uma empresa estrangeira que tentava iniciar um negócio ético ‘branco’ para ajudar a Ucrânia em primeiro lugar. As ações das autoridades ucranianas de aplicação da lei estão prejudicando a reputação da Ucrânia como um país com o qual fazer negócios. Ainda acreditamos que a verdade vai vencer”.

Fonte: Chernobyl Spirit Company

Condividi su Whatsapp Condividi su Linkedin
Nascida e criada em São Paulo, é publicitária formada pela Faculdade Cásper Líbero e Master em Programação Neurolinguística. Trabalha como redatora publicitária, redatora de conteúdo e tradutora de inglês e espanhol. Apaixonada por animais e viagens, morou no Canadá e no Uruguai, e não dispensa uma oportunidade de conhecer novos lugares e culturas.
Você está no Facebook?

Curta as mais belas fotos, dicas e notícias!

Você está no Pinterest?

As fotos mais bonitas sempre contigo!

Siga no Facebook
Siga no Pinterest