Em memória de Zohra: uma empregada de 8 anos que foi espancada e morta por soltar dois papagaios

Condividi su Whatsapp Condividi su Linkedin

Em memória de Zohra Shah, 24 de março de 2012 – 1 de junho de 2020

Ela tinha apenas 8 anos, mas nem mesmo a sua tenra idade foi suficiente para salvá-la. A pequena Zohra Shah foi morta no Paquistão em 1º de junho de 2020 por soltar dois papagaios caros da gaiola. A menina vivia numa casa de família rica, para a qual trabalhava.

E lá ela encontrou sua morte. Talvez tenha sido um engano, ou talvez ela quisesse ver aqueles passarinhos livres.

Uma história que indigna o mundo pela crueldade sem precedentes, e que queremos relembrar para nunca esquecer. A pobreza generalizada no Paquistão obriga muitas famílias a colocarem seus filhos para trabalhar, mesmo como empregadas domésticas desde tenra idade. Este também foi o destino de Zohra, que trabalhava como empregada em um bairro rico de Rawalpindi, a quarta cidade do Paquistão.

Alguns meses antes, Zohra havia começado a trabalhar para a família de Hasan Siddiqui e sua esposa Umm Kulsoom. Mas o homem posteriormente confessou à polícia que sua esposa havia espancado Zohra porque a menina havia libertado seus papagaios.

A menina veio de Muzaffargarh, um distrito no sul de Punjab, localizado a cerca de 580 quilômetros da capital Islamabad. A família a havia enviado para viver e trabalhar para o casal para receber uma boa educação, mas infelizmente ela morreu.

O casal preso confessou o crime depois de alguns dias.

“Siddiqui chutou a menina, havia hematomas por todo o corpo e ela estava sangrando”, disse o policial Mukhtar Ahmed, que investigou o caso.

Depois de cometer a violência, os dois levaram a menina para o Hospital Memorial Begum Akhtar Rukhsana, onde a equipe confirmou os sinais de violência, e a menina morreu devido a ferimentos graves.

O brutal assassinato gerou indignação geral no Twitter. Todos se reuniram para exigir justiça para a pobre Zohra.

A Organização Internacional do Trabalho estima que haja pelo menos 8,5 milhões de trabalhadoras domésticas no Paquistão, muitas das quais são mulheres ou crianças. A situação de dezenas de milhares de crianças trabalhadoras no país é alarmante. Elas são contratadas por meio de seus pais anualmente ou mensalmente e a violência contra elas é comum. Em janeiro do ano passado, Uzma, 16, foi assassinada por patrões na cidade de Lahore, no leste do país, por comer sua comida.

Em 2019, a Assembleia de Punjab aprovou a Lei de Trabalhadores Domésticos de Punjab para regulamentar o trabalho doméstico e registrar funcionários, mas infelizmente isso não é suficiente para evitar assassinatos brutais como o de Zohra.

“Um grande número de empregados em Punjab ainda não são registrados, têm trabalho não remunerado e as crianças são torturadas até a morte“, disse Arooma Shahzad, secretário-geral do Sindicato dos Trabalhadores Domésticos.

Em memória de Zohra, não nos esquecemos de você!

Fontes: NationalJustgiving

Condividi su Whatsapp Condividi su Linkedin
Jornalista freelance com especialização em editoração, comunicação, multimídia e jornalismo. Em 2011 ganhou o prêmio Dear Director e em 2013 recebeu o prêmio Jounalists in the Grass, devido à sua entrevista com Luca Parmitano.
Você está no Pinterest?

As fotos mais bonitas sempre contigo!

Você está no Facebook?

Curta as mais belas fotos, dicas e notícias!

Siga no Facebook
Siga no Pinterest