Maker Faire 2021: do café torrado solar ao dispositivo portátil que detecta OGM, as inovações mais verdes no palco

Condividi su Whatsapp Condividi su Linkedin

“Maker Faire Rome”, o mais importante evento europeu dedicado ao mundo da inovação, retorna à Roma, na Itália. O evento, promovido e organizado pela Câmara de Comércio de Roma, teve início hoje no Gazometro Ostiense, que acolherá dezenas de expositores, encontros e conferências.

Numerosos tópicos abordados nesta edição: da agritech à foodtech , da manufatura digital à robótica, da inteligência artificial à mobilidade, da economia circular à saúde, além das seções de Maker Art e Maker Music que exploram a contaminação entre arte, música, ciência e tecnologia. A participação no evento será possível tanto presencial como online, graças a uma plataforma dedicada onde os utilizadores podem “deslocar-se” entre as arquibancadas e interagir com os vários especialistas.

Uma seção dedicada ao desenvolvimento sustentável

Dentre as várias seções de interesse, destaca-se a dedicada à sustentabilidade e agroalimentação, na qual será apresentado um rico panorama de inovações aplicáveis ​​aos negócios, cadeias produtivas agrícolas e sistemas locais. Os mais importantes órgãos de pesquisa nacionais aderem às atividades da Maker Fair 2021, incluindo Crea (Conselho de pesquisa em agricultura e análise da economia agrícola), Cnr (Conselho Nacional de Pesquisa), Enea (Agência nacional de novas tecnologias, energia e sustentabilidade desenvolvimento Econômico). Além disso, estarão presentes algumas universidades e uma seleção de empresas privadas que atuam no mundo da inovação. No total, serão apresentadas mais de 50 inovações para a agricultura e o meio ambiente.

Descobrindo o DNA do café

No evento serão mostradas pesquisas que identificaram as características genéticas e químicas do café expresso e dos chamados “cafés especiais” (altíssima qualidade) de 13 países. É, portanto, uma espécie de bilhete de identidade dos melhores cafés do mundo com os componentes, as propriedades que os tornam únicos e a rastreabilidade da sua origem. Um evento imperdível para os amantes desta bebida.

Produtos de alta tecnologia para agricultura

Será então possível admirar as novas fronteiras da Hidro-Agricultura (propostas pela G&A Engenharia – Fazenda Ferrari) ou uma gama de produtos de alta tecnologia para o cultivo hidropônico “limpo” que respeite a nossa saúde e a do nosso planeta. Ou entenda como funciona o Spectrafood, que é um sistema que permite encontrar OGMs sem análises laboratoriais (desenvolvido pelo Instituto CNR de Fotônica e Nanotecnologias). Na verdade, é um dispositivo portátil que integra espectroscopias (espectroscopia de fluorescência, refletância difusa no visível e infravermelho próximo) para a medição de inúmeros parâmetros essenciais para a caracterização da qualidade de matérias-primas alimentares.

Café torrado… solar!

Entre as novidades encontra-se o café torrado solar desenvolvido pela empresa PuroSole, com uma técnica de torrefação do café por radiação solar que permite substituir a exploração de recursos naturais não renováveis ​​pela energia solar e reduzir a consequente poluição ambiental. A torrefação do grão de café cru ocorre por meio da irradiação direta de raios de luz. O resultado obtido é uma melhor uniformidade do grau de torra entre a parte externa e a parte interna do grão e uma maior conservação das suas propriedades naturais.

Biofábricas de plantas

Biofábricas de plantas onde vacinas, anticorpos e produtos de diagnóstico podem ser produzidos contra Covid-19 e outras doenças infecciosas, mas também contra algumas patologias, incluindo tumores, são os protagonistas da Maker Faire. Graças a uma abordagem biotecnológica inovadora, as plantas cultivadas em estruturas verticais com sistemas hidropônicos sem solo são “instruídas” a produzir os biofármacos de interesse, com o objetivo de atender à demanda por biomoléculas úteis para a triagem diagnóstica em massa, imunoterapia passiva e vacinação.

Fontes: Maker Faire Rome / ENEA

Condividi su Whatsapp Condividi su Linkedin
Graduada em mídia, comunicação digital e jornalismo pela Universidade La Sapienza, ela colaborou com Le guide di Repubblica e com alguns jornais sicilianos. Para a revista Sicilia e Donna, ela tratou principalmente de cultura e entrevistas. Sempre apaixonada pelo mundo do bem-estar e da bio, desde 2020 escreve para a GreenMe.
Você está no Facebook?

Curta as mais belas fotos, dicas e notícias!

Você está no Pinterest?

As fotos mais bonitas sempre contigo!

Siga no Facebook
Siga no Pinterest