Uma lendária casa noturna de Glasgow usa o calor do corpo para abastecer o local

Condividi su Whatsapp Condividi su Linkedin

Esta boate achou por bem explorar o calor das pessoas que dançam em seu interior para produzir energia limpa, demonstrando que também é possível se divertir de forma sustentável.

Já ouvimos falar do sol, do vento e das geomassas como fontes alternativas de energia para produzir eletricidade e poluir menos, mas quem já pensou que a dança desencadeada na discoteca poderia se transformar em eletricidade limpa? A ideia está ganhando forma em uma das casas noturnas mais populares de Glasgow (Escócia), onde se imaginou uma forma de “prender” o calor proveniente dos corpos que se movem na pista de dança para produzir eletricidade limpa para abastecer a própria boate .

O projeto futurista se chama BodyHeat: além de transformar o calor humano em energia limpa e pronta para o uso, também permite o armazenamento do recurso, que também pode ser aproveitado muito depois do fim da festa. Este sistema permitirá à discoteca reduzir a sua pegada ambiental e dar o seu contributo concreto na luta contra as alterações climáticas.

O calor humano nada mais é do que energia térmica : quem já esteve em uma boate lotada sabe quanto calor é liberado na pista de dança. Em vez de liberar toda essa energia, ela é capturada e armazenada no porão da sala, até que seu uso seja necessário. Mas como exatamente esse sistema funciona?

O sistema de ar condicionado dentro dos clubes geralmente captura o ar quente que emana dos clientes do clube e o joga para fora, desperdiçando seu potencial. Já o sistema BodyHeat capta o calor humano no subsolo: aquece as rochas presentes no subsolo, que conservam a energia térmica transformando-se em “baterias” de reserva para abastecer a sala com eletricidade quando necessário. O sistema permitirá a eliminação de 70 toneladas de emissões de CO2 na atmosfera por ano.

O espaço pretende ser modelo, provando que também é possível se divertir de forma sustentável. Além de atingir a neutralidade de carbono (meta fixada para 2025), nos próximos anos a boate escocesa se compromete a abolir completamente o plástico descartável em seus eventos, para criar uma área verde para o cultivo de plantas locais para proteger a biodiversidade, para oferecer aos seus clientes apenas alimentos e bebidas de origem sustentável e, por último, mas não menos importante, divulgar os resultados alcançados e as novas estratégias de proteção do meio ambiente nos relatórios anuais.

Fonte: SWG3

Condividi su Whatsapp Condividi su Linkedin
Com 25 anos e licenciada em Línguas Estrangeiras. Sempre esteve atenta às questões ambientais e visando um estilo de vida eco-sustentável. No seu pequeno caminho tenta minimizar a pegada ambiental com escolhas responsáveis, respeitando a natureza que a cerca.
Você está no Facebook?

Curta as mais belas fotos, dicas e notícias!

Você está no Pinterest?

As fotos mais bonitas sempre contigo!

Siga no Facebook
Siga no Pinterest