Livros em troca de lixo: biblioteca móvel combate a poluição do plástico e promove a leitura na Indonésia

Condividi su Whatsapp Condividi su Linkedin

De uma só vez, ele limpa o meio ambiente e convence as crianças a ler mais. Com seu confiável veículo de três rodas e uma série interminável de livros empilhados na parte traseira, este livreiro em Purbalingga, na ilha indonésia de Java, empresta livros para crianças em troca do lixo que elas coletam. Uma forma, diz ela, de construir uma sociedade interessada em cultura.

Ela é Raden Roro Hendarti e há 5 anos com sua biblioteca itinerante, a Biblioteca do Lixo, ela terá trilhado quilômetros. Todos os dias ele dirige um veículo de três rodas abarrotado de livros empilhados na parte de trás que as crianças de Muntang Village podem pegar emprestado. Mas só depois de entregar resíduos plásticos, sacolas ou qualquer tipo de lixo.

@Reuters

@Reuters

Construímos uma cultura de alfabetização desde tenra idade para mitigar os danos do mundo online – diz Raden. Devemos também cuidar de nossos resíduos para combater as mudanças climáticas e salvar a Terra do lixo.

Em uma semana, Raden consegue coletar cerca de 100 kg de resíduos, que são separados por seus colegas e encaminhados para reciclagem ou comercializados. Tem um estoque de 6.000 livros para emprestar e quer levar seu “serviço móvel” também para as áreas vizinhas.

Quando há muito lixo, nosso ambiente fica sujo e insalubre. É por isso que estou procurando lixo para pegar um livro emprestado, diz Kevin Alamsyah, um ávido leitor de 11 anos que procura por lixo na aldeia.

A taxa de alfabetização para maiores de 15 anos na Indonésia é de cerca de 96%, mas um relatório de setembro do Banco Mundial alertou que a pandemia deixará mais de 80% dos jovens de 15 anos abaixo do nível mínimo de alfabetização identificado pela Organização para a Economia Cooperação e Desenvolvimento. E não só: a partir de um estudo recente sobre a qualidade do ar, constatou-se que só na capital da Indonésia os níveis de poluição do ar muitas vezes excedem os recomendados pela Organização Mundial da Saúde em quatro ou cinco vezes.

Fonte: Reuters

Condividi su Whatsapp Condividi su Linkedin
Jornalista freelance, nascida em 1977, formada com honras em Ciência Política, possui mestrado em Responsabilidade Corporativa e Ética e também em Edição e Revisão.
Você está no Facebook?

Curta as mais belas fotos, dicas e notícias!

Você está no Pinterest?

As fotos mais bonitas sempre contigo!

Siga no Facebook
Siga no Pinterest