Em São Paulo, policial algema rapaz à moto e o faz correr para não cair

Condividi su Whatsapp Condividi su Linkedin

Abuso de poder, tortura, preconceito. Esses foram alguns adjetivos usados para descrever o que aconteceu essa semana entre um PM de Sâo Paulo e um suspeito. O vídeo que viralizou nas redes sociais de um homem correndo algemado à moto da Polícia Militar causou indignação. As imagens foram feitas na região da Vila Prudente, na zona leste de São Paulo.

 

Visualizza questo post su Instagram

 

Un post condiviso da Guilherme Boulos (@guilhermeboulos.oficial)


O autor do vídeo chega a debochar e diz na gravação que o homem, que é negro e está vestido com calça preta e camiseta de manga comprida, “está andando igual escravo”. “Vai roubar mais agora?”,  ironiza.

A Polícia Militar afirmou que “imediatamente após tomar ciência das imagens, determinou a instauração de um inquérito policial militar (IPM) para apuração da conduta do referido policial e o seu afastamento do serviço operacional”.

Ainda foi emitida uma nota oficial:

“A Polícia Militar repudia a forma como o detido foi conduzido, que afronta todos os protocolos da Instituição e reafirma o seu compromisso de proteger as pessoas, combater o crime e fazer cumprir as leis, sendo implacável contra pontuais desvios de conduta”.

A PM diz que o ocorrido aconteceu durante a operação “Cavalo de Aço”. Segue oque teria acontecido:

“O motociclista fugiu do bloqueio e foi acompanhado por policiais militares. Em determinado momento, o suspeito se livrou da beg que portava, jogando-a na rua. Dessa forma, um dos policiais colheu o material enquanto o outro manteve a perseguição. Momentos depois, o suspeito colidiu a motocicleta com uma viatura do SAMU e tentou a fuga a pé, sendo preso metros do local da colisão. Após a detenção, o policial militar filmado conduziu o suspeito como mostrado nas imagens para próximo da motocicleta colidida, pois teve a preocupação de que alguma pessoa pudesse roubar o veículo que estava na via pública”.

O suspeito foi detido com 12 tijolos de maconha. Os policiais militares disseram que o suspeito teria confessado em “entrevista informal” que a droga seria entregue a um traficante por R$ 150 em um bairro próximo, mas o jovem não confirmou a versão, permanecendo em silêncio na delegacia.

O cabo Jocelio Almeida de Sousa, 34 anos, identificado como o policial que aparece nas imagens conduzindo a moto, pode responder pelos crimes de tortura, racismo e abuso de autoridade. Já o soldado Rogério Silva de Araújo, 39, pode responder por prevaricação.

Fonte: terra/ uol

Condividi su Whatsapp Condividi su Linkedin
Nascida e criada em São Paulo, é publicitária formada pela Faculdade Cásper Líbero e Master em Programação Neurolinguística. Trabalha como redatora publicitária, redatora de conteúdo e tradutora de inglês e espanhol. Apaixonada por animais e viagens, morou no Canadá e no Uruguai, e não dispensa uma oportunidade de conhecer novos lugares e culturas.
Você está no Pinterest?

As fotos mais bonitas sempre contigo!

Você está no Facebook?

Curta as mais belas fotos, dicas e notícias!

Siga no Facebook
Siga no Pinterest