No Afeganistão, talvez haja inimigos mais perigosos para combater do que o Talibã: fome e frio

Condividi su Whatsapp Condividi su Linkedin

Após a tomada do poder pelo Talibã, o Afeganistão caiu em uma profunda crise econômica e humanitária e, para pagar principalmente crianças e mulheres, foi completamente eliminado da vida social do país. Agora, com a chegada do inverno, a situação já dramática piorou ainda mais, se possível: a população está exausta por causa do frio (à noite a temperatura cai para -7 ° C) e da falta de alimentos ; a maior parte da população não tem dinheiro suficiente para pagar lenha para fogões ou algo para comer; mais de três milhões de crianças sofrem de desnutrição.

Diante dessa situação desesperadora, a associação humanitária Pangea Onlus lançou um projeto de apoio à população de sete províncias afegãs com a distribuição de cestas básicas, cobertores, agasalhos e outras necessidades básicas. Desde 2003, a associação opera em território nacional através de programas dirigidos sobretudo às mulheres e seus filhos: não só ajudas concretas e materiais, mas também a esperança de um futuro melhor graças à venda de microcréditos com que as mulheres puderam. para financiar pequenos projetos empresariais ou investir na sua própria formação. Graças ao trabalho realizado ao longo dos anos. As mulheres foram capazes de alcançar a emancipação social e econômica e tornar-se independentes. Infelizmente, porém, também o trabalho dos ativistas daA Pangéia é fortemente prejudicada pela ação do Taleban, que não vê com bons olhos o processo de emancipação das mulheres.

Após a captura de Cabul pelo Talibã (agosto de 2021), uma das prioridades de Pangea era resgatar a equipe afegã que colaborou com ativistas italianos nos últimos anos: a transferência para a Itália de quarenta ativistas afegãos com suas famílias, para um total de cerca de 300 pessoas que já estão inseridas em um programa de trabalho e integração cultural em nosso país.

Desde setembro passado, Pangea retomou o trabalho em território afegão com a colaboração de mulheres locais, reprogramando atividades de financiamento e microcrédito , ajudando mulheres ameaçadas pelo Taleban que não conseguiram sair do país e que agora têm tudo privado, até a casa. Para recebê-los, foi criada uma casa-refúgio que lhes proporciona não só alimentação e alojamento, mas também proteção e proteção.

Por fim, outro projeto Pangea diz respeito à gestão de uma escola para crianças surdas no coração de Cabul: devido às proibições impostas pelo Talibã, que negam o direito à educação para meninas maiores de 12 anos, a escola poderá continuar .para acolher raparigas surdas dos 3 aos 12 anos e rapazes surdos até aos 18 anos. A escola, além de ser um importante trampolim para o mundo do trabalho, é muitas vezes a única fonte de alimento para as crianças que a frequentam: na verdade, Pangea distribui diariamente uma refeição protéica a todos os alunos da escola que, para muitos dos eles, é a única refeição do dia.

O que todos nós podemos fazer para contribuir e ajudar as mulheres e crianças no Afeganistão? Através do site Pangea Onlus , podemos fazer uma doação – pequena ou grande – para apoiar o projeto “Emergência no Afeganistão”. Em alternativa, podemos adquirir um dos presentes solidários à venda na loja do site: um presente que vai ajudar a fazer o bem não só a quem o recebe.

Fonte: Pangea Onlus

Condividi su Whatsapp Condividi su Linkedin
Com 25 anos e licenciada em Línguas Estrangeiras. Sempre esteve atenta às questões ambientais e visando um estilo de vida eco-sustentável. No seu pequeno caminho tenta minimizar a pegada ambiental com escolhas responsáveis, respeitando a natureza que a cerca.
Você está no Facebook?

Curta as mais belas fotos, dicas e notícias!

Você está no Pinterest?

As fotos mais bonitas sempre contigo!

Siga no Facebook
Siga no Pinterest