O drama de mais de 500 separadas das suas famílias na fronteira com o México: “não conseguimos encontrar nossos pais ”

Condividi su Whatsapp Condividi su Linkedin

Um drama silencioso acontece na fronteira entre os Estados Unidos e o México, separados pelo famoso ‘muro da vergonha’: 545 crianças aguardam a reunificação com seus pais. Eles vivem separados há anos, mas agora as autoridades não conseguem encontrar suas famílias.

Até agora, nem os comerciais de rádio transmitidos por todo o México e América Central, nem as buscas em movimento em todas as comunidades montanhosas da Guatemala, tiveram sucesso. Os esforços fazem parte de uma ampla campanha para rastrear pais separados de seus filhos na fronteira com os Estados Unidos a partir de 2018. Cerca de 60 das crianças tinham menos de 5 anos quando foram removidas de suas famílias devido à política de “tolerância” zero da administração Trump, que efetivamente desmantelou centenas de milhares de famílias.

Em abril de 2018 o procurador-geral dos Estados Unidos, Jeff Sessions, anunciou esta nova política para imigrantes que cruzam a fronteira ilegalmente e também para aqueles que buscam asilo nos Estados Unidos. Como as crianças não podiam ser detidas em uma prisão federal, elas foram separadas de seus pais e colocadas no Escritório de Reassentamento de Refugiados (ORR). E estamos falando de números muito elevados, segundo o Departamento de Segurança Interna, foram quase 2 mil crianças.

Agora, um documento do departamento americano diz claramente que os pais de 545 crianças estão desaparecidos. Ninguém pode encontrá-los, apesar de uma nova ordem do juiz federal de reunir famílias separadas na fronteira dos Estados Unidos com o México. Em de 20 de outubro um comitê do instituto, destinado a essa finalidade, iniciou a busca pelo pais. O que surgiu é preocupante: aqueles que não foram encontrados provavelmente foram deportados sem seus filhos. Portanto, se muitos filhos encontraram seus pais, muitas outras crianças ainda continuam sozinhas.

 “O que aconteceu foi horrível”, disse Lee Gelernt, vice-diretor do Projeto de Direitos dos Imigrantes da ACLU. “Algumas dessas crianças eram apenas bebês quando foram separadas. Em sua curta vida, eles nunca estiveram com os pais ”.

O sofrimento contínuo de centenas de crianças e seus pais perdidos causou raiva e indignação. Paola Luisi, diretora da coalizão que une famílias, disse que tudo será feito para dar um futuro a essas crianças.

“O governo Trump roubou a vida de 545 crianças, mentiu sobre isso e depois perdeu o controle, colocando as crianças em perigo. Esta é a norma para um sistema de imigração sádico.”

Fonte: The New York Times /NBCNews/The Guardian

Condividi su Whatsapp Condividi su Linkedin
Jornalista profissional, possui graduação em Ciência Política e máster em Comunicação Política. Se preocupa especialmente com temas sociais e direitos dos animais.
Você está no Pinterest?

As fotos mais bonitas sempre contigo!

Você está no Facebook?

Curta as mais belas fotos, dicas e notícias!

Siga no Facebook
Siga no Pinterest