Vírus sincicial respiratório: o que é, sintomas e como evitá-lo em crianças muito pequenas

Condividi su Whatsapp Condividi su Linkedin

Muitas crianças e jovens adoecem com o Vírus Sincicial Respiratório (VSR), um vírus que afeta todas as idades, mas que é particularmente agressivo com crianças menores de dois anos. que, devido à sua tenra idade, não têm defesas imunológicas suficientes para resistir ao seu ataque.

Esse vírus costuma atacar mais no outono inverno, mas com as mudanças climáticas no Brasil, é bom sempre ficar de olho.

Sintomas

A infecção por VSR é geralmente uma doença leve caracterizada por sintomas semelhantes aos de um resfriado normal (coriza, tosse, infecção de ouvido, febre, dor de garganta) e que cura por si própria após alguns dias. De fato, estima-se que a maioria dos pais nem mesmo percebe que seu filho contraiu VSR, deixando de distingui-lo de doenças sazonais comuns. Porém, acontece que o vírus se manifesta em formas mais graves de doenças e obriga o paciente a ser hospitalizado. Mas como distinguir o VSR  da gripe normal? Aqui estão alguns sintomas específicos e de aviso para uma infecção grave a ser observada:

  • Dificuldade em respirar, com aumento da frequência respiratória ou respiração ofegante (assobio);
  • Cianose perioral e ungueal (a pele adquire coloração azulada devido à oxigenação sanguínea insuficiente);
  • Tosse persistente;
  • Desidratação;
  • Dificuldade na alimentação (o bebê não consegue sugar no peito ou mamar na mamadeira).

Tratamento e cuidados

A infecção decorrente desse vírus, na maioria dos casos, cura-se sem a necessidade de tratamentos médicos especiais – mesmo que, ao contrário de um resfriado comum cujos sintomas duram no máximo 4/5 dias, os sintomas persistam por até duas semanas. Em geral, quanto mais velho o bebê, mais brandos serão os sintomas. Recém-nascidos ou bebês, bem como crianças pequenas com doenças pulmonares ou cardíacas, podem manifestar a doença de forma grave, com bronquiolite ou pneumonia.

O tratamento varia muito, dependendo dos sintomas específicos da criança. Por exemplo, se os sintomas são muito semelhantes aos de um resfriado e não há febre, é supérfluo administrar medicamentos – é melhor manter a criança aquecida (possivelmente em um ambiente umidificado, para reduzir a irritação da mucosa e tosse), mantenha o nariz limpo de muco e faça-o beber bastante água para mantê-lo hidratado. No caso de a criança contrair uma infecção no ouvido, pode ser necessário um tratamento à base de antibióticos (neste caso, consulte sempre primeiro o pediatra). Se a criança sentir grande dificuldade em respirar, é prudente levá-la a um pronto-socorro para exame.

Prevenção

É possível prevenir ou pelo menos conter a infecção por RSV com alguns cuidados simples que são válidos não apenas para esta patologia, mas também para outros vírus influenza (não menos importante, também para o Coronavírus). É importante lavar bem e com frequência as mãos do bebê, que muitas vezes chegam à boca (facilitando a entrada do vírus no corpo), usar lenços descartáveis ​​para limpar o nariz e jogá-los no lixo após um único uso, e não permita que a criança troque com outros objetos que possam transmitir germes (por exemplo, talheres, xícaras e copos, almofadas, brinquedos …).

 

Fonte: Sociedade Italiana de Doenças Respiratórias na Infância

 

Condividi su Whatsapp Condividi su Linkedin
Nascida e criada em São Paulo, é publicitária formada pela Faculdade Cásper Líbero e Master em Programação Neurolinguística. Trabalha como redatora publicitária, redatora de conteúdo e tradutora de inglês e espanhol. Apaixonada por animais e viagens, morou no Canadá e no Uruguai, e não dispensa uma oportunidade de conhecer novos lugares e culturas.
Você está no Facebook?

Curta as mais belas fotos, dicas e notícias!

Você está no Pinterest?

As fotos mais bonitas sempre contigo!

Siga no Facebook
Siga no Pinterest