Correr não é suficiente para perder peso se você cometer esses erros

Condividi su Whatsapp Condividi su Linkedin

Se decidirmos perder peso contando com a corrida, devemos saber que também existem outras medidas a serem tomadas em combinação com a atividade física.

A corrida é um dos esportes mais populares. Basta sair às ruas e parques para perceber o quanto o número de fãs cresceu nos últimos anos. Os motivos não faltam: correr parece simples, barato e acessível a todos. Pode ser praticado em qualquer lugar, a qualquer hora e com poucos equipamentos.

No entanto, correr não é suficiente para manter a forma. Aqui estão alguns dos erros mais comuns que acompanham a corrida.

Correr apenas com o propósito de perder peso

Embora a corrida ajude a manter a forma, não deve ser tomada como um remédio único e simples para queimar calorias, perder alguns quilos e retornar à perigosa inatividade após algumas semanas. Para ter uma vida saudável, devemos incorporar gradualmente o exercício em nossa agenda, mas também de forma permanente: a atividade física constante deve fazer parte de nossa vida diária.

Se queremos resultados reais, precisamos mudar nosso estilo de vida . O exercício físico será o complemento indispensável, mas nunca o substituto, de uma alimentação saudável e equilibrada  .

Correr para “comer tudo”

Devemos aprender a não perceber o exercício físico como um sacrifício, nem como a moeda de troca que nos permitirá comer demais.

Há um equívoco entre muitos atletas, apenas por se exercitar por horas e não ter excesso de peso, os isenta de seguir uma dieta saudável. Os especialistas alertam sobre isso, porque embora o exercício regular possa compensar ou mitigar alguns dos efeitos negativos de uma dieta inadequada – rica em gordura, açúcares simples, fast food, produtos processados, etc. -, em nenhum caso será suficiente apagá-los.

Para alcançar uma dieta mais saudável, os especialistas recomendam a substituição de alimentos de baixa qualidade nutricional – refrigerantes, doces, tortas, salgadinhos, molhos, etc. – com frutas, vegetais, grãos inteiros, legumes e nozes.

Acreditar em dietas milagrosas

Saúde é como felicidade: um caminho, não uma meta. A maioria dos que começam a correr nota os resultados muito cedo – correr não só queima calorias, mas aumenta a secreção de serotonina, melhora o humor, ganha força, flexibilidade e energia. Porém, para alcançar um equilíbrio saudável, precisamos pensar mais a médio e longo prazo. É fundamental esquecer os quilos a mais – se tivermos algum – e começar por mudar o seu estilo de vida.

Não é necessário se esforçar muito se você falhar. A Organização Mundial de Saúde sugere que com apenas 5 sessões de caminhada rápida por semana, de 30 minutos cada, o risco de sofrer de doenças relacionadas ao sedentarismo é bastante reduzido.

Não planejar

Outro grande erro cometido por iniciantes é a corrida “intermitente” , que resulta em “ondas de milhas” seguidas por períodos de inatividade de vários dias ou até semanas. Assim como acontece com as orientações nutricionais, mesmo com exercícios devemos evitar altos e baixos, jejuns forçados e indulgências. Se praticarmos esportes sem consistência, nossa saúde será prejudicada.

Primeiro, você precisa definir uma meta realista e um prazo para alcançá-la. Por exemplo: “Gostaria de poder correr 8km três vezes por semana”. A partir daqui começa o planejamento dos treinos, evitando esforços excessivos, que causarão sobrecargas, lesões e fadiga. Com um plano de treinamento não cometeremos erros ou excessos e poderemos acompanhar nossa evolução a qualquer momento.

Começar muito rápido

Antes de correr, você deve aprender a andar corretamente. Se não corremos há muito tempo ou nunca corremos, além de consultar o nosso médico para afastar os riscos, é bom começar caminhando.  Desta forma fortalecemos músculos, articulações e tendões e fazemos funcionar o coração, para que o processo de adaptação seja mais seguro.
Andar rapidamente no apartamento também é muito saudável.

Quando o corpo assimila bem as sessões de caminhada rápida com o ganho de elevação, podemos começar a praticar as sessões de caminhada e corrida – que consistem na alternância de caminhada rápida com corrida. À medida que ganhamos resistência, podemos aumentar a duração dos trechos de corrida ou corrida e reduzir os trechos de caminhada rápida.

Correr todos os dias

Não é recomendável correr todos os dias ou concentrar toda a atividade física em uma única maratona semanal. Idealmente, é perfeito para alternar dias de treinamento com dias de descanso. Ou seja, se corrermos no domingo, na segunda descansamos. Apenas atletas de nível avançado podem considerar a corrida diária. Nos dias em que não corremos, podemos fazer outras atividades complementares, como natação, ciclismo, caminhada plana, alongamento, etc.

Não variar a rota ou o ritmo

Outra regra para treinadores esportivos é recomendar variedade no treinamento. Alguns pilotos, por conveniência ou por falta de tempo, fazem sempre o mesmo circuito, no mesmo ritmo, com o mesmo tempo.

É bom fazer o mesmo roteiro para verificar se você progrediu, mas é preferível alternar os métodos de treinamento. Por exemplo: se fizemos uma corrida plana leve na terça e descansamos na quarta, podemos introduzir pequenas mudanças de ritmo, acelerações, subidas e escadas curtas na quinta.

Abusar de açúcar

Assim como com o sal, do qual não se recomenda ingerir mais de 5 gramas por dia, os especialistas em saúde acreditam que a população, praticante de esportes ou não, consome muito açúcar. Embora as células do nosso corpo possam obter a energia de que precisam das proteínas ou gorduras que comemos, o verdadeiro combustível do corredor são os carboidratos, que se encontram nas frutas, vegetais, nozes, legumes, leite e, acima de tudo, nos cereais (arroz, pão, massa).

Mas nem todos os carboidratos são criados iguais. São os chamados “açúcares” – glusose, frutose, sacarose, maltose -, que se encontram no açúcar de mesa, no mel e em muitos produtos processados ​​que contêm açúcar, como o pão industrial fatiado, refrigerantes ou cacau solúvel.

Portanto, é aconselhável escolher as melhores fontes de carboidratos: grãos inteiros, legumes e frutas.

Comer muita proteína

Além de ser uma importante fonte de energia e ter um papel fundamental na formação da massa muscular, as proteínas auxiliam o corredor a reparar as microlesões que ocorrem nas fibras musculares.

No esporte, o teor de proteína recomendado para corredores é de cerca de 1,2 grama de proteína por quilo de peso. Ou seja, uma pessoa que pesa 30 quilos não deve ingerir mais do que 85 gramas de proteína por dia.

Condividi su Whatsapp Condividi su Linkedin
Redatora em questões de sustentabilidade socioambiental. Graduada com louvor em filosofia, ela obteve um mestrado nível II em Relato, Inovação e Sustentabilidade. Ganhou experiência em comunicação e na organização de eventos em organizações com e sem fins lucrativos.
Você está no Pinterest?

As fotos mais bonitas sempre contigo!

Você está no Facebook?

Curta as mais belas fotos, dicas e notícias!

Siga no Facebook
Siga no Pinterest