Coronavirus: pessoas com sangue tipo O possuem menor risco de serem infectadas e ficarem seriamente doentes

Condividi su Whatsapp Condividi su Linkedin

Já parecia claro a partir dos resultados de outras pesquisas, mas agora uma confirmação parece vir de estudos mais profundos: pessoas com tipo de sangue 0 podem ter um risco menor de infecção por Covid-19 e doenças graves.

Dois novos estudos publicados na revista Blood Advances sugerem que as pessoas com o grupo 0 podem ser menos suscetíveis do que aqueles A e AB. Em resumo, as pessoas com sangue tipo O podem ser menos vulneráveis ​​ao Covid-19 e ter uma chance reduzida de adoecer gravemente.

Já havíamos contado sobre uma pesquisa realizada na China que havia ligado o Coronavírus aos diferentes grupos sanguíneos, para entender se um deles possui mais risco de contrair a doença, e já naquela ocasião parecia que os portadores do grupo 0 estariam, de alguma forma, mais protegidos da Covid-19.

Os resultados de outra pesquisa também confirmaram o papel do grupo sanguíneo na maior ou menor suscetibilidade à Covid-19.

Da mesma forma, pesquisas conduzidas por cientistas do Centro Médico da Universidade Schleswig-Holstein (UKSH) e da Universidade de Kiel, na Noruega e na Alemanha, respectivamente, sugeriram que pessoas com sangue do tipo A têm maior risco de serem infectadas com o Coronavírus e desenvolver sintomas mais graves.

Os novos estudos

Agora, os dois estudos conduzidos por especialistas do Odense University Hospital, da University of Southern Denmark e da University of British Columbia fornecem mais evidências de que o tipo de sangue pode desempenhar um papel na suscetibilidade de uma pessoa a infecções.

Os pesquisadores compararam dados do registro de saúde dinamarquês de mais de 473.000 indivíduos com teste positivo, com um grupo de controle de mais de 2,2 milhões de pessoas.

 Entre os casos positivos, o número de indivíduos com sangue tipo 0 foi significativamente menor – explica Torben Barington do Odense University Hospital e da University of Southern Denmark. Em tal análise é essencial selecionar o grupo de controle apropriado porque a prevalência do grupo sanguíneo pode variar consideravelmente de acordo com os grupos étnicos e países considerados ”.

sangue-coronavirus

©Blood Advances

“A Dinamarca é um país pequeno e etnicamente homogêneo com um sistema de saúde pública e um registro central dedicado a dados laboratoriais – acrescenta Barington. Por isso, acredito que nosso trabalho se baseia em um sólido ponto de partida”.

 A segunda pesquisa se concentra na análise dos sintomas, encontrando uma maior probabilidade de sintomas agudos ocorrendo em pacientes com sangue tipo A ou AB e levando em consideração os pacientes Covid-19 hospitalizados em Vancouver, Canadá.

A equipe descobriu que aqueles com sangue tipo A e AB tendem a precisar mais de ventilação mecânica.

 O aspecto único de nosso trabalho – comenta Mypinder S. Sekhon, da University of British Columbia – acredito que seja a atenção ao grupo sanguíneo em relação à gravidade e suscetibilidade ao coronavírus. Nessas investigações consideramos complicações para os pulmões e rins, mas nos próximos estudos vamos nos concentrar na relação entre o tipo de sangue e os efeitos da doença em outros órgãos vitais”.

Pacientes com grupos sanguíneos A e AB, em suma, podem estar mais sujeitos a sintomas graves, mas os especialistas são claros, outras análises serão necessárias.

Fontes: Blood Advances/CNN

Condividi su Whatsapp Condividi su Linkedin
Jornalista freelance, nascida em 1977, formada com honras em Ciência Política, possui mestrado em Responsabilidade Corporativa e Ética e também em Edição e Revisão.
Você está no Facebook?

Curta as mais belas fotos, dicas e notícias!

Você está no Pinterest?

As fotos mais bonitas sempre contigo!

Siga no Facebook
Siga no Pinterest