Por que as pessoas com risco de doenças cardíacas devem evitar suplementos de ômega 3

Condividi su Whatsapp Condividi su Linkedin

Um novo estudo relaciona problemas de arritmia cardíaca com a ingestão de suplementos dietéticos à base de óleo de peixe, geralmente prescritos de forma leve ou mesmo vendidos sem receita médica. 

 Os ácidos graxos ômega-3 e, em geral, os suplementos alimentares à base de óleo de peixe sempre foram considerados uma panacéia para a nossa saúde e, em particular, para o nosso coração. Agora, um novo estudo mostra como sua ingestão pode levar a um aumento do risco de fibrilação atrial – o distúrbio do ritmo cardíaco mais comum. É uma arritmia caracterizada pela atividade elétrica irregular de uma das duas seções superiores do coração – o átrio esquerdo.

No entanto, enquanto algumas pessoas podem notar esse distúrbio, sentindo palpitações, para outras o distúrbio ocorre de forma assintomática. Pessoas com esse distúrbio têm cinco vezes mais probabilidade do que a média de ter um ataque cardíaco. De acordo com uma nova análise conduzida pela Sociedade Europeia de Cardiologia , os suplementos dietéticos ômega-3 estão associados a uma maior probabilidade de desenvolver fibrilação atrial em pessoas com níveis elevados de lipídios no sangue.

O professor Salvatore Carbone , que liderou o estudo, disse: “Atualmente, os suplementos alimentares à base de óleo de peixe são indicados para pacientes com um alto nível de triglicerídeos plasmáticos para reduzir os riscos cardiovasculares. Devido à alta incidência de triglicerídeos elevados no sangue na população, esses suplementos são prescritos com muita frequência. Vale ressaltar que tais suplementos de baixas doses são vendidos até mesmo como medicamentos sem prescrição, sem a necessidade de receita médica.

No entanto, alguns ensaios clínicos destacaram os riscos para o coração de tomar esses suplementos. Para o estudo, diferentes formulações à base de ômega-3 foram examinadas, com diferentes dosagens. Os participantes da pesquisa tinham outros níveis de triglicerídeos no sangue, estavam expostos a um alto risco cardiovascular ou já tinham problemas cardiovasculares.

Mais de 50.000 pacientes tomaram suplementos de óleo de peixe ou medicamentos placebo, sem efeito, durante um período de pesquisa de dois a sete anos. A dose diária de óleo de peixe variou de 0,84g a 4g. Os pesquisadores observaram que o suplemento dietético estava associado a um risco significativamente maior de fibrilação atrial do que aqueles que tomavam medicamentos com placebo – demonstrando assim a conexão entre tomar suplementos de ômega-3 e problemas cardíacos.

O risco de fibrilação atrial deve ser considerado ao prescrever ou vender esses suplementos em farmácias, especialmente para aqueles pacientes que são mais propensos a desenvolver problemas cardiovasculares.

Fonte: European Heart Journal/Healthline

Condividi su Whatsapp Condividi su Linkedin
Nascida e criada em São Paulo, é publicitária formada pela Faculdade Cásper Líbero e Master em Programação Neurolinguística. Trabalha como redatora publicitária, redatora de conteúdo e tradutora de inglês e espanhol. Apaixonada por animais e viagens, morou no Canadá e no Uruguai, e não dispensa uma oportunidade de conhecer novos lugares e culturas.
Você está no Facebook?

Curta as mais belas fotos, dicas e notícias!

Você está no Pinterest?

As fotos mais bonitas sempre contigo!

Siga no Facebook
Siga no Pinterest