Anvisa reconhece o bom uso da Cannabis sativa e a classifica como medicinal

Condividi su Whatsapp Condividi su Linkedin

Maconha, Cannabis sativa, já foi devidamente reconhecida como planta medicinal aqui no Brasil. Não quer dizer que seu uso esteja liberado mas, sim, que é possível se produzir medicamento com seus princípios ativos, diz a ANVISA.

Ano passado, veja no DOU de 21 de março de 2016, foi autorizada a prescrição e importação de produtos a base de canabidiol e tetrahidrocanabidiol, o THC e o CBD, os dois princípios ativos considerados medicinais que existem na Cannabis sativa (e também nas Cannabis ruderalis e índica, claro).

Agora a ANVISA declarou que também a planta em si, a Cannabis sativa, é uma planta medicinal.

Que a maconha é medicinal isso já se sabia de longa data mas, o que mudou para que a ANVISA a declarasse, finalmente, com essas propriedades?

A meu ver essa nova, e moderna, posição governamental (política mais do que técnica) são os resultados do estudo sobre a viabilidade econômica da maconha no mercado brasileiro, publicado no ano passado.

Mas, enfim, é uma boa notícia, com certeza!

Agora, a real é que tanto a planta in natura quanto seus compostos poderão ser registrados como medicamento, como é o caso do Mevatyl® (tetraidrocanabinol (THC), 27 mg/mL + canabidiol (CBD), 25 mg/mL), indicado em casos de esclerose múltipla que já tinha sido autorizado em janeiro de 2017.

Mas, essa não é a primeira vez, no nosso país, em que a maconha recebe seu título de medicinal – em 1929 ela já estava na primeira edição da Farmacopeia, na lista de vegetais com possibilidades de uso terapêutico.

A sequência de diplomas legais que antecederam essa nova etapa da legalização medicinal da maconha no Brasil você poderá ler aqui no site da ANVISA

Para a importação de medicamentos à base de canabidiol, é importante você ler esse diploma com as regras básicas para pessoas físicas e pessoas jurídicas e, aqui estão as regras da ANVISA para a venda de medicamentos à base de canabidiol.

Os usos medicinais da Cannabis sativa e seus componentes ativos são, dentre outros possíveis:

  • esclerose múltipla
  • epilepsia grave
  • convulsões severas
  • câncer
  • glaucoma
  • dores generalizadas
  • Mal de Parkinson

Leia mais sobre este assunto aqui no Greenme:

CANNABIS: 10 USOS NOS MAIS DIFERENTES SETORES

MACONHA: 10 DOENÇAS QUE PODEM SER TRATADAS COM A CANNABIS

SEMENTE DE CÂNHAMO É ALIMENTO DE PRIMEIRA ORDEM

Condividi su Whatsapp Condividi su Linkedin
Alice Branco Weffort é engenheira agrônoma, especializada em Gestão do Meio Ambiente, Direito Ambiental e Ecologia dos Solos, apaixonada por plantas medicinais e remédios caseiros.
Você está no Facebook?

Curta as mais belas fotos, dicas e notícias!

Você está no Pinterest?

As fotos mais bonitas sempre contigo!

Siga no Facebook
Siga no Pinterest