Médicos temem que pandemia volte a crescer com a liberação da obrigatoriedade de uso de máscaras

Condividi su Whatsapp Condividi su Linkedin

A Prefeitura do Rio estuda tirar a obrigatoriedade do uso de máscaras em ambientes abertos a partir de 15 de outubro e está sendo criticada por especialistas da área da saúde. A indicação foi feita ontem pelo prefeito carioca, Eduardo Paes (PSD), em no Twitter. Já em São Paulo, a prefeitura estuda uma data para adotar a mesma medida, embora indique que a partir de novembro a cidade já deva ter toda sua população adulta com esquema vacinal completo (duas doses ou dose única)

“Esse é um vírus que surfa nas oportunidades. E o que a gente tem que fazer é não dar oportunidade”, diz Flávio Guimarães da Fonseca, presidente da SBV (Sociedade Brasileira de Virologia) e virologista da UFMG (Universidade Federal de Minais Gerais).

Fonseca salienta que, no país como um todo, não temos metade da população com o esquema completo. Atualmente, 94,2 milhões de pessoas já estão imunizadas, aproximadamente 44% da população.

Na cidade de São Paulo, o UOL apurou que estudos são feitos sobre a flexibilização do uso da máscara, levando em consideração o que foi feito em Portugal. Atualmente, os parâmetros estimados para se chegar nesse cenário incluem que 100% dos idosos já estejam com dose de reforço e 90% da população adulta com esquema vacinal completo.

“Até final de outubro, seguramente chegaremos a 100% da população com a segunda dose. Até meados de outubro, já teremos dado a dose de reforço a toda a população com mais de 60 anos”, disse hoje o secretário municipal de Saúde, Edson Aparecido. “Hoje nós temos uma média na cidade de 15 óbitos diários”.

Os especialistas também reforçam a necessidade de se observar as experiências de outros países.

“Diversos estados dos Estados Unidos liberaram do uso de máscaras em maio, quando haviam vacinado um pouco mais da metade da população com as duas doses. É exatamente o mesmo cenário que estamos vivenciando em alguns estados no Brasil”.

É o que observa Luiz Gustavo de Almeida, microbiologista e membro do Instituto Questão de Ciência. Ele lembra que, mesmo vacinada, a pessoa ainda pode transmitir o vírus caso seja contaminada.

Portanto, analisando os dados e o que tem sido feito em outros países, não parece ser o momento de liberar o uso de máscaras. Talvez seja mais prudente deixar os casos baixarem ainda mais e ficarmos mais tranquilos no futuro.

 

Fonte: uol

 

Condividi su Whatsapp Condividi su Linkedin
Nascida e criada em São Paulo, é publicitária formada pela Faculdade Cásper Líbero e Master em Programação Neurolinguística. Trabalha como redatora publicitária, redatora de conteúdo e tradutora de inglês e espanhol. Apaixonada por animais e viagens, morou no Canadá e no Uruguai, e não dispensa uma oportunidade de conhecer novos lugares e culturas.
Você está no Facebook?

Curta as mais belas fotos, dicas e notícias!

Você está no Pinterest?

As fotos mais bonitas sempre contigo!

Siga no Facebook
Siga no Pinterest