Veja 5 sinais de que você está indo contra a sua essência

Condividi su Whatsapp Condividi su Linkedin

Uma pessoa está vivendo conforme sua essência quando a vida corre conforme o que o “eu” profundo dela deseja realmente, mesmo que racionalmente a pessoa não saiba. Como cada pessoa é única, também são únicos seus desejos e prioridades.

Quando uma pessoa não está seguindo o caminho que sua essência pede, ou não consegue alcançar seus desejos, isso pode desencadear problemas nos relacionamentos, dificuldades em resolver situações, diminuição na autoconfiança e perda de oportunidades, além da sensação de vazio. Tudo isso reflete em desequilíbrios no corpo físico, com possibilidade de descargas hormonais indesejáveis e consequente somatização.

Essa somatização significa doenças físicas, que podem vir como dores, resfriados ou até doenças mais graves.

Se você está de acordo com sua essência, você estará alinhada com você mesmo, inteira, disponível para novas informações e experiências, com foco no presente e atenta para perceber as possibilidades do Universo. Você encontrará soluções mais facilmente, verá o copo meio cheio e aceitará que algumas coisas acontecem como a vida quer, e não como gostaríamos. E encontrará uma forma de lidar bem com isso até encontrar novas soluções que contornem esses problemas.

 Será que você está seguindo sua essência? Veja alguns sinais de que você está fora do seu caminho.

Estado de contração

Tensão e estresse. As situações do dia a dia vão criando situações de nervosismo e preocupação, mesmo quando os problemas não são reais ou tão graves. A mente acelerada provoca uma série de pensamentos que constroem um cenário de ameaça que, por sua vez, desencadeia a sensação de medo.

O corpo reage ao alerta da mente e coloca os músculos em um movimento de se proteger e ficar pronto para atacar. Isso começa a acontecer com tanta frequência que o corpo para de relaxar e permanece em estado de tensão. Assim, mente e corpo – principalmente a região das costas, ombros e pescoço – estão sempre cansados e enrijecidos.

Reatividade 

É o chamado “à flor da pele”, estado em que a pessoa age sem nenhum tipo de elaboração. Diante de algo a ser resolvido, apenas reage. Muitas vezes de maneira que pode soar como grosseira ou desequilibrada.

A questão está no fato de não conseguir ser eficiente, tendo como resultado da ação algo desalinhado ao objetivo. É o falar sem pensar, que pode magoar ou causar desentendimento sem necessidade. Algumas pessoas são chamadas de “amargas”, “grossas” ou “estressadas” por isso.

Sensação de “dar branco”

Emoções conturbadas, tensão, e excesso de informações também podem provocar momentos de paralisação, em que não se consegue reagir adequadamente diante de um acontecimento. É tanta informação para processar que o cérebro trava.

A sensação de “eu devia ter falado tal coisa” e “eu sabia a resposta, mas na hora travei” são exemplos dessas situações. 

Saudade de algo que não se sabe o quê

A pessoa não consegue mais saber o que realmente deseja, o que a faz feliz, suas prioridades e muito menos como alcançá-las. Ela se esqueceu de si própria.

A vigilância constante em relação ao mundo externo, preocupação com o que os outros irão pensar e a ambição em alcançar algo que alguém disse que traria a felicidade nos afastam de nós mesmos. Seguimos vivendo para alcançar a meta do outro.

E quando estamos longe de nós mesmos e separados do que gostamos e queremos do fundo do nosso ser, iremos pagar por isso. Alguma hora a sensação de vazio chegará. E, com ele, o sentimento de tristeza, depressão, ou de se estar perdido, sem um “porquê” na vida.

Reatividade

Quando um animal está machucado, ele vai atacar todos que se aproximarem, tudo porque está com medo, dor e quer se defender ao máximo.

Quem está em dor, percebe os acontecimentos ao seu redor como “cutucadas” em sua ferida e vive amargurado, principalmente em relação às atitudes dos outros. Vibra uma frequência de insatisfação.

É assim que você se sente? Viver bem e encontrar um propósito parece algo distante e difícil? Se você não sabe o que deseja ou se parece impossível atingir a felicidade, talvez seja o momento de procurar o auxílio de um terapeuta, que acompanhará você nesse processo de olhar para dentro, se conhecer melhor e desenvolver seu autorrespeito.

Fonte: msn

Condividi su Whatsapp Condividi su Linkedin
Nascida e criada em São Paulo, é publicitária formada pela Faculdade Cásper Líbero e Master em Programação Neurolinguística. Trabalha como redatora publicitária, redatora de conteúdo e tradutora de inglês e espanhol. Apaixonada por animais e viagens, morou no Canadá e no Uruguai, e não dispensa uma oportunidade de conhecer novos lugares e culturas.
Você está no Facebook?

Curta as mais belas fotos, dicas e notícias!

Você está no Pinterest?

As fotos mais bonitas sempre contigo!

Siga no Facebook
Siga no Pinterest