Pesquisa recente descobriu como o sal afeta nossos neurônios

Condividi su Whatsapp Condividi su Linkedin

Um estudo único revela novos insights surpreendentes sobre a relação entre a atividade neuronal e o fluxo sanguíneo no cérebro, bem como como o cérebro é afetado pelo consumo de sal.

Quando os neurônios são ativados, eles normalmente produzem um rápido aumento no fluxo sanguíneo. Essa relação é conhecida como acoplamento neurovascular ou hiperemia funcional e ocorre por meio da dilatação dos vasos sanguíneos do cérebro, chamados de arteríolas.

Estudos anteriores de acoplamento neurovascular foram limitados a áreas superficiais do cérebro (como o córtex cerebral), e os cientistas examinaram principalmente como o fluxo sanguíneo muda em resposta a estímulos sensoriais do ambiente (como estímulos visuais ou auditivos). Pouco se sabe se os mesmos princípios se aplicam a regiões mais profundas do cérebro em sintonia com os estímulos produzidos pelo próprio corpo, conhecidos como sinais interoceptivos.

Para estudar essa relação nas regiões profundas do cérebro, uma equipe interdisciplinar de cientistas desenvolveu uma nova abordagem que combina técnicas cirúrgicas e de neuroimagem de ponta. A equipe se concentrou no hipotálamo, uma região profunda do cérebro envolvida em funções corporais críticas, incluindo beber, comer, regular a temperatura corporal e se reproduzir.

O estudo analisou como o fluxo sanguíneo para o hipotálamo mudou em resposta à ingestão de sal. Por que sal precisamente? Porque o corpo precisa controlar os níveis de sódio com muita precisão. Quando você come alimentos salgados, seu cérebro percebe isso e ativa uma série de mecanismos compensatórios para reduzir os níveis de sódio.

O corpo faz isso em parte ativando os neurônios que desencadeiam a liberação de vasopressina, um hormônio antidiurético que desempenha um papel fundamental na manutenção da concentração correta de sal. Quando comemos muito sal, nossos níveis de sódio permanecem altos por muito tempo. As descobertas levantam questões interessantes sobre como a hipertensão pode afetar o cérebro; além disso, acredita-se que 50 a 60% da hipertensão seja devido ao sal que ingerimos em excesso.

Se você ingerir cronicamente uma grande quantidade de sal, na verdade, terá uma hiperativação dos neurônios da vasopressina; esse mecanismo pode, portanto, induzir hipóxia excessiva, ou seja, falta de oxigênio, o que pode levar a danos nos tecidos cerebrais. Com essa pesquisa, espera-se usar a mesma abordagem para estudar outras regiões e doenças do cérebro, incluindo depressãoobesidade e condições neurodegenerativas.

Fonte: Relatórios de Células

Condividi su Whatsapp Condividi su Linkedin
Graduada em Línguas e Civilizações Orientais pela Universidade de Roma La Sapienza. Possui vários anos de experiência em comunicação digital. Apaixonada por beleza, fitness, bem-estar e moda sustentável.
Você está no Facebook?

Curta as mais belas fotos, dicas e notícias!

Você está no Pinterest?

As fotos mais bonitas sempre contigo!

Siga no Facebook
Siga no Pinterest