Vacina nasal contra Alzheimer vai começar a ser testada em humanos

Condividi su Whatsapp Condividi su Linkedin

Serão iniciados os testes para averiguar a segurança e eficácia de uma nova vacina administrada por via nasal para prevenir e retardar a progressão da doença de Alzheimer.

O início dos testes em humanos acontece depois de quase 20 anos de pesquisa liderada por Howard L. Weiner, codiretor do Centro Ann Romney para Doenças Neurológicas do Brigham.

Weiner disse que esse é um grande acontecimento.

“Nas últimas duas décadas, acumulamos evidências pré-clínicas que sugerem o potencial dessa vacina nasal para a DA. Se os ensaios clínicos em humanos mostrarem que a vacina é segura e eficaz, isso pode representar um tratamento não tóxico para pessoas com Alzheimer, e também pode ser dado no início para ajudar a prevenir Alzheimer em pessoas em risco.”

A vacina usa o modulador imunológico Protollin, que estimula o sistema imunológico. O Protollin é composto por proteínas derivadas de bactérias e tem sido usado com segurança em humanos como um adjuvante para outras vacinas.

O Protollin é projetado para ativar os glóbulos brancos encontrados nos gânglios linfáticos nas laterais e na nuca para migrar para o cérebro e desencadear a eliminação das placas beta-amilóides – uma das marcas da DA. I-Mab Biopharma (I-Mab) e Jiangsu Nhwa Pharmaceutical (NHWA) são responsáveis ​​pelo desenvolvimento, fabricação e comercialização de Protollin.

“Por 20 anos, tem havido evidências crescentes de que o sistema imunológico desempenha um papel fundamental na eliminação da beta amiloide. Esta vacina aproveita um novo braço do sistema imunológico para tratar a DA”, disse Tanuja Chitnis, MD, professora de Neurologia do Brigham e investigadora principal do estudo. “A pesquisa nesta área abriu o caminho para que possamos buscar um caminho totalmente novo para o tratamento potencial não só da DA, mas também de outras doenças neurodegenerativas.”

A pesquisa terá 16 participantes, entre 60 e 85 anos de idade com Alzheimer precoce e sintomática. Todos deverão estar em boas condições gerais de saúde, sem expectativa de que nenhuma doença interfira no estudo. Serão administradas 2 doses com intervalo de 1 semana entre cada uma.

“Estamos entusiasmados em ver o Protollin aprovado para avançar em testes clínicos após muitos anos de trabalho pioneiro, e estamos honrados em contribuir com nossa experiência no esforço global para desenvolver novas terapias para esta doença devastadora”, disse o Dr. Jingwu Zang, fundador, presidente e diretor do I-Mab.

O objetivo dessa fase I será determinar a segurança e o nível de tolerância da vacina nasal. A equipe de pesquisa também medirá o efeito do Protollin nasal na resposta imunológica dos participantes.

“O sistema imunológico desempenha um papel muito importante em todas as doenças neurológicas”, disse Weiner. “E é empolgante que, após 20 anos de trabalho pré-clínico, possamos finalmente dar um passo importante em direção à tradução clínica e conduzir este marcante primeiro teste em humanos.”

Fonte: msn

Condividi su Whatsapp Condividi su Linkedin
Nascida e criada em São Paulo, é publicitária formada pela Faculdade Cásper Líbero e Master em Programação Neurolinguística. Trabalha como redatora publicitária, redatora de conteúdo e tradutora de inglês e espanhol. Apaixonada por animais e viagens, morou no Canadá e no Uruguai, e não dispensa uma oportunidade de conhecer novos lugares e culturas.
Você está no Pinterest?

As fotos mais bonitas sempre contigo!

Você está no Facebook?

Curta as mais belas fotos, dicas e notícias!

Siga no Facebook
Siga no Pinterest