Koumpounophobia, o medo incontrolável de botões: o que é, causas e sintomas

Condividi su Whatsapp Condividi su Linkedin

Ao ver botões, você sente indiferença, prazer ou aversão? É estranho dizer que botões comuns chegam a despertar medo e repulsa em alguns. Nesse caso, falamos de kimpounofobia , a fobia de botões, a ponto de invalidar a ponto de obrigar quem a sofre a evitá-los de todas as maneiras possíveis.

Nem um pouco fácil, pois os botões estão praticamente em todos os lugares, em primeiro lugar nas roupas que usamos todos os dias. A fobia, na verdade bastante rara, ganhou as manchetes em 2007, quando o Wall Street Journal afirmou que Steve Jobs também sofria dela.

Koumpounophobia: o que é

É chamada de Koumpounophobia e é a fobia de botões, comum entre as crianças, mas também entre os adultos. Bastante raro, muito incomum, mas real.

Quem sofre com isso sente medo, aversão, nojo ou ódio pelos botões, por alguns tipos em particular, a ponto de não poder tocá-los e às vezes nem vê-los. E assim torna-se particularmente difícil usar roupas com botões.

Koumpounophobia: causas

As causas podem ser várias, por exemplo, pode acontecer que os pais, por medo de os filhos engasgarem ao engolir um botão, façam com que tenham medo.

Ou a fobia pode ocorrer como resultado de experiências traumáticas vividas (não apenas na primeira pessoa) na infância, como uma experiência de asfixia. Em outros casos, pode ser devido a uma mania excessiva de controle.

Koumpounophobia: sintomas

Os sintomas da compounofobia podem ser diferentes, entre eles:

  • desgosto
  • tremores
  • medo
  • falta de ar
  • ansiedade

Quem fica com nojo costuma associar botões, principalmente os mais velhos, com sujeira. Nesse caso, a fobia pode estar relacionada à misofobia, o medo patológico da sujeira.

Koumpounophobia: como tratá-la

Como sempre, depende da gravidade e de quanto a fobia se torna incapacitante para a pessoa que a sofre. Nesse caso, é sempre aconselhável entrar em contato com profissionais que possam sugerir uma possível terapia para lidar com o transtorno.

FONTE: BuddingPsychologists

Condividi su Whatsapp Condividi su Linkedin
Graduada em Ciências do Patrimônio Cultural, editora web desde 2008 e ilustradora desde 2018, publicou "O sonho no tempo" para a Editore Giochidimagia. Com SpiceLapis ela criou "Memento Mori, um guia ilustrado para os cemitérios mais bizarros do mundo".
Você está no Facebook?

Curta as mais belas fotos, dicas e notícias!

Você está no Pinterest?

As fotos mais bonitas sempre contigo!

Siga no Facebook
Siga no Pinterest