Estudo italiano: Covid está causando distúrbios pós-traumáticos, como uma catástrofe natural

Condividi su Whatsapp Condividi su Linkedin

De um estudo recente coordenado pela Universidade de Pisa e publicado no The Journal of Clinical Psychiatry , as pessoas mais próximas dos epicentros da pandemia são as que mais sofreram de transtornos mentais, em particular transtornos de estresse pós-traumático, além de sintomas de ansiedade e Transtornos de Humor.

Esta pesquisa é a primeira já realizada em uma amostra de pacientes que já sofrem desses problemas e, de acordo com o que foi relatado pela professora Claudia Carmassi da Universidade de Pisa e da Unidade de Psiquiatria de Aoup dirigida pela professora Liliana Dell’Osso:

Nosso objetivo foi investigar se viver em uma área com alta incidência de COVID-19 resultou em níveis mais altos de estresse pós-traumático, ansiedade ou sintomas depressivos do que aqueles que moram em áreas de baixa incidência.

O estudo

O estudo foi realizado após a primeira onda de Covid-19 e após o primeiro lockdown, ou seja, entre 1 de junho e 30 de julho de 2020. A pesquisa envolveu 102 pacientes, metade homens e metade mulheres, recrutados na clínica psiquiátrica das Clínicas Psiquiátricas de dois Hospitais universitários italianos: Pisa como “área de baixa incidência Covid-19” e Verona como “área de alta incidência”.

Todos os pacientes foram monitorados nos 3 meses seguintes ao bloqueio; o que se notou foi que o nível de exposição à pandemia foi o principal fator de risco para o desenvolvimento do TEPT, independente da idade e sexo dos pacientes.

Esses resultados complementam aqueles que surgiram de outros estudos que a própria Professora Carmassi realizou nos últimos anos sobre transtorno de estresse pós-traumático em vítimas de grandes eventos traumáticos em massa na Itália, incluindo: os sobreviventes do terremoto de L’Aquila em 2009, em colaboração com colegas da Universidade de L’Aquila, socorristas do naufrágio Costa Concordia, em colaboração com a Marinha italiana, e profissionais de saúde envolvidos na emergência Covid-19, em colaboração com colegas de Codogno e outras importantes universidades italianas envolvidas na saúde emergência e o Istituto Superiore di Sanità.

Nossa pesquisa destacou as necessidades de saúde dos pacientes psiquiátricos como uma parcela particularmente vulnerável da população – conclui Carmassi – Acreditamos que o crescente uso da telemedicina pode ser muito útil para permitir um acompanhamento contínuo dos pacientes.

 

Fonte: The Journal of Clinical Psychiatry

Condividi su Whatsapp Condividi su Linkedin
Graduada em Línguas e Civilizações Orientais pela Universidade de Roma La Sapienza. Possui vários anos de experiência em comunicação digital. Apaixonada por beleza, fitness, bem-estar e moda sustentável.
Você está no Pinterest?

As fotos mais bonitas sempre contigo!

Você está no Facebook?

Curta as mais belas fotos, dicas e notícias!

Siga no Facebook
Siga no Pinterest