Conheça a doença Síndrome de Lyme e como ela é tratada

Condividi su Whatsapp Condividi su Linkedin

“Pensei que iria morrer e enfrentei um longo processo de reabilitação. Agora acabou, mas estar de joelhos ainda afeta minha vida. É um mal-estar profundo”.

Estas são as palavras usadas pela conhecida apresentadora italiana Victoria Cabello para descrever o problema de saúde com o qual teve de lidar há algum tempo: a doença de Lyme. A entrevista dada pela multifacetada atriz a “D – a República das mulheres” voltou a atenção para uma doença bastante difundida e perigosa, mas ainda desconhecida da maioria. Vamos descobrir o que é e como é transmitido.

Doença de Lyme: o que é e sintomas

O nome desta doença deriva da cidade americana onde o primeiro caso foi descrito em 1975. É uma infecção causada pela espiroqueta Borrelia burgdorferi, que tem como reservatório inúmeras espécies animais incluindo veados, corços, roedores, aves, cães e gatos domésticos.

A doença de Lyme é particularmente prevalente na Europa e nos Estados Unidos. A cantora Avril Lavigne, Justin Bieber e Ben Stiller são alguns famosos que já sofreram com a doença.

A infecção afeta principalmente a pele, articulações, sistema nervoso e órgãos internos. Entre os sintomas mais comuns encontramos: sensação de cansaço, calafrios, febre, dores de cabeça, rigidez no pescoço, dores musculares e articulações inchadas e doloridas. Esses sintomas podem durar semanas. Às vezes, complicações mais graves podem ocorrer, como meningite (que causa dor de cabeça e rigidez de nuca) e paralisia de Bell (que causa deficiência muscular na face).

Como é transmitido

Mas como você se infecta? A bactéria que causa a doença de Lyme é transmitida aos humanos através da picada de um carrapato infectado. A transmissão da Borrelia Burgdorferi geralmente ocorre somente após o carrapato infectado ter se fixado por mais de 24 horas. A bactéria que entrou na pele pode se espalhar para os gânglios linfáticos e também pode viajar para outros órgãos. Geralmente a incubação dura de 3 a 20 dias, mas em alguns casos pode ser até um mês.

Como curar

Na maioria dos casos, a picada do carrapato para na erupção cutânea. E, neste caso, a terapia medicamentosa é baseada em antibióticos, geralmente tetraciclina em adultos e amoxicilina em crianças, pode ser suficiente para evitar a disseminação da bactéria. Medicamentos à base de cortisona devem ser categoricamente evitados. Mais de 80% dos pacientes com a doença são capazes de se recuperar após um ou dois ciclos de antibioticoterapia.

Fontes: MSD / Hospital Pediátrico Bambino Gesù

Condividi su Whatsapp Condividi su Linkedin
Graduada em mídia, comunicação digital e jornalismo pela Universidade La Sapienza, ela colaborou com Le guide di Repubblica e com alguns jornais sicilianos. Para a revista Sicilia e Donna, ela tratou principalmente de cultura e entrevistas. Sempre apaixonada pelo mundo do bem-estar e da bio, desde 2020 escreve para a GreenMe.
Você está no Facebook?

Curta as mais belas fotos, dicas e notícias!

Você está no Pinterest?

As fotos mais bonitas sempre contigo!

Siga no Facebook
Siga no Pinterest