Saiba mais sobre Alopecia, a doença capilar de Jada Smith

Condividi su Whatsapp Condividi su Linkedin

Quem assistiu ao Oscar viu ao vivo, e quem não assistiu, soube logo depois. Chris Rock, ao apresentar o evento, fez e refez piadas sobre a aparência de Jada Smith, esposa do mais recente vencedor do Oscar, Will Smith. As brincadeiras – de mau gosto – renderam a Chris um tapa na cara vindo de Will Smith que, após pedir para as brincadeiras cessarem e não obter sucesso, perdeu a paciência.

Acontece que Jada Smith não utiliza o cabelo raspado por escolha. Ela sofre de uma doença chamada Alopecia Feminina.

As causas da queda de cabelo

Por não serem estrutura fundamentais para o funcionamento do organismo, quando passamos por problemas de saúde, estresse físico ou mental, eles caem. Isso acontece porque o organismo dirige a atenção para as funções mais importantes nessas situações.

Os sinais de queda

  • Mais cabelo em seu pente ou escova;
  • Mais cabelo no ralo do chuveiro;
  • Mais cabelo no travesseiro.

Quais as principais causas da alopecia feminina?

Até os 50 anos, aproximadamente, a principal causa de queda de cabelo feminino é o eflúvio telógeno, mas existem outras. Vamos ver as principais.

Eflúvio Telógeno

Muito comum principalmente em mulheres entre 18 e 35 anos de idade. É a queda de cabelo significativa e rápida de fios de cabelo durante a fase ativa de crescimento. As causas dessa alopecia feminina incluem estresse físico ou mental, eventos traumáticos (perda de um ente querido, separação, etc), medicamentos, quimioterápicos e radioterapia, dieta pobre, excesso de vitamina A, deficiência de ferro, infecção crônica e entre outras causas.

Após esses acontecimentos é possível que após cerca de 3-4 meses, nossos cabelos caiam mais do que o normal. São fios crescidos, grandes, telógenos. Às vezes dá para perceber que os fios estão caindo com a raiz. Aquela massinha esbranquiçada na ponta.

Normalmente, o cabelo volta a crescer espontaneamente depois que a causa é removida, mas isso pode demorar meses.

Alopecia Senil

É a queda de cabelo relacionada à idade. De acordo com a  Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD), 30% de todas as mulheres do mundo sofrerão com algum problema relacionado a calvície após os 50 anos de idade.

Infelizmente, à medida que envelhecemos, o crescimento do cabelo diminui naturalmente, e a alopecia senil em mulheres, se presenta como esse afinamento lento.

Questões hormonais, como a menopausa, também podem afetar o crescimento do cabelo, sendo um fator bem comum.

Alopecia Androgenética (AAG)

A alopecia androgenética (AAG)  é a alopecia feminina hereditária (que passa de pai para o filho). De acordo com a American Academy of Dermatology, apenas 5% das mulheres são acometidas pela AAG.

O cabelo geralmente fica mais fino na área frontal, logo atrás da linha do cabelo, mas permanece espesso na parte de trás. Essa alopecia não pode ser prevenida, mas pode ser controlada.

Alopecia Areata

Forma rápida de queda de cabelo que costuma afetar manchas ou um lado do couro cabeludo mais do que o outro. Frequentemente, é causada por um distúrbio no sistema imunológico e estresse emocional. 

Alopecia Frontal Fibrosante (AFF)

alopecia frontal fibrosante pode estar relacionada a fatores genéticos, hormonais e ambientais, além de estar relacionada ao uso de fotoprotetor. 

Causa queda dos primeiros fios de cabelo, na linha frontal da cabeça, afentando mais mulheres na pós menopausa.

Dicas para evitar a queda de cabelos

É claro que alguns dos fatores da queda de cabelo não podem ser evitados, mas sempre ajuda se tomarmos os cuidados necessários.

  • Lave os cabelos frequentemente;
  • Evite água muito quente;
  • Use shampoo e condicionador antiqueda;
  • Considere também um tônico capilar se os cabelos já pioraram;
  • Evite secador muito quente ou chapinha (ressecam e quebram os fios);
  • Trate a caspa se tiver – aumenta a queda.
  • Não tracione muito os cabelos – aumenta a queda.

Se você já está passando por esse problema ou possui pai ou mãe que sofreu de Alopecia, procure um profissional médico. Existem muitos tratamentos para curar ou ao menos controlar a queda de cabelo, dependendo da origem. Somente o seu médico poderá indicar o melhor tratamento e os produtos mais adequados.

 Fonte: Capellux
Condividi su Whatsapp Condividi su Linkedin
Nascida e criada em São Paulo, é publicitária formada pela Faculdade Cásper Líbero e Master em Programação Neurolinguística. Trabalha como redatora publicitária, redatora de conteúdo e tradutora de inglês e espanhol. Apaixonada por animais e viagens, morou no Canadá e no Uruguai, e não dispensa uma oportunidade de conhecer novos lugares e culturas.
Você está no Facebook?

Curta as mais belas fotos, dicas e notícias!

Você está no Pinterest?

As fotos mais bonitas sempre contigo!

Siga no Facebook
Siga no Pinterest