Aqui está o tomate fortificado que contém a mesma quantidade de vitamina D3 que dois ovos

Condividi su Whatsapp Condividi su Linkedin

or meio de um novo estudo, os cientistas criaram tomates geneticamente modificados, cada um contendo a mesma quantidade de provitamina D3, precursora da vitamina D, encontrada em dois ovos ou uma colher de atum.

A vitamina D é necessária para manter os ossos, dentes e músculos saudáveis. A principal fonte desse nutriente vem da exposição da pele à luz solar, que converte a provitamina D3 em uma forma ativa de vitamina D que nosso corpo pode utilizar.

Guy Poppy, professor de ecologia da Universidade de Southampton, disse:

Tomates geneticamente modificados para acumular provitamina D3 em níveis acima das diretrizes dietéticas recomendadas podem levar a uma saúde melhor para muitos, especialmente porque os tomates são um alimento amplamente acessível e facilmente consumido.

O estudo

As plantas de tomate foram criadas fazendo pequenas alterações em um gene de tomate, usando uma técnica de edição chamada Crispr-Cas9.

Nesse caso, o alvo dos pesquisadores foi uma enzima encontrada no tomateiro, que normalmente converte a provitamina D3 em colesterol.

Ao alterar essa enzima, os pesquisadores conseguiram bloquear seu caminho normal e obter um acúmulo de pró-vitamina D3 tanto nos frutos quanto nas folhas, sem afetar o crescimento e a produtividade da própria planta.

Eles calcularam que a quantidade de provitamina D3 em uma fruta de tomate, quando convertida em vitamina D3, seria equivalente aos níveis encontrados em dois ovos de tamanho médio ou 28 gramas de atum.

Para a conversão em vitamina D3 ativa, as frutas ainda precisariam ser expostas à luz UVB, ou poderiam ser cultivadas ao ar livre, o que os pesquisadores planejam testar nos próximos testes de campo.

Essas culturas modificadas são objeto de um projeto de lei, que permitirá que as plantas geneticamente modificadas sejam tratadas de forma diferente dos organismos geneticamente modificados (OGMs), cujo cultivo é regulamentado por regras europeias rígidas.

Ao contrário dos OGMs, os tomateiros não contêm genes de outros organismos. Essa técnica provavelmente também funcionaria bem em outras culturas alimentares, como pimentas, pimentas, batatas e berinjela.

Fonte: Natureza Plantas

Condividi su Whatsapp Condividi su Linkedin
Graduada em Línguas e Civilizações Orientais pela Universidade de Roma La Sapienza. Possui vários anos de experiência em comunicação digital. Apaixonada por beleza, fitness, bem-estar e moda sustentável.
Você está no Facebook?

Curta as mais belas fotos, dicas e notícias!

Você está no Pinterest?

As fotos mais bonitas sempre contigo!

Siga no Facebook
Siga no Pinterest