Às vezes, dormir não é o suficiente: veja como descansar o cérebro de verdade

Condividi su Whatsapp Condividi su Linkedin

A sensação de esgotamento é bastante comum em rotinas agitadas, especialmente com muitas responsabilidades, o que nos faz pensar demais, sobrecarregando nossa mente e cérebro. Com isso, o ócio e o descanso são essenciais para manter uma boa saúde física e mental.

O médico neurocirurgião e neurocientista do Hospital das Clínicas de São Paulo, Dr. Fernando Gomes, revela os perigos de sobrecarregar a mente.

“É comum ler por aí na maioria dos livros de autoajuda e orientações para eliminar os pensamentos negativos e aumentar os positivos. Esse é um ótimo conselho, mas na prática, quando se usa demais o cérebro, positiva ou negativamente, ele pode ficar esgotado e então, dá-se o cenário perfeito para o fracasso mental, para o pensamento desordenado, confuso e desesperado”, explica.

Conforme o médico, ter o hábito de pensar em tudo ao mesmo tempo é sinônimo de não viver no presente.

“A única maneira de parar de se identificar com todos os pensamentos é parar de segui-los, descansando o cérebro para conseguir uma reprogramação mental essencial para o bom funcionamento das funções vitais”, adverte Dr. Fernando.

Como descansar o cérebro

O neurologista revela que o primeiro passo é se desligar da tecnologia. O especialista reforça que mesmo que pareça bem difícil, é necessário se forçar. Pesquisas recentes mostram que essa atitude realmente funciona, isso porque o alto volume de informações da tecnologia pode inibir o funcionamento de regiões cerebrais específicas, como o córtex pré-frontal.

É exatamente o córtex pré-frontal que determina no que prestamos atenção e transmite essa informação para regiões mais profundas do cérebro, como os gânglios da base e tálamo, que então fecham as barreiras para os estímulos concorrentes. Com isso surgem as  distrações e o pensamento inoportuno.

“Quando o desligamento acontece, o cérebro abaixa a guarda e então diminui a barreira para estímulos concorrentes, permitindo o monitoramento do ambiente, o olhar para dentro de si mesmo e o tão importante descanso e cultivo do ócio”, justifica.

Conforme o especialista, a neurociência já mostrou que o ócio cerebral provocado pelo contato com ambientes naturais podem melhorar o humor e a memória, além de diminuir o estresse e as chances de desenvolver doenças como a depressão e a ansiedade.

Para “desligar” o cérebro, o neurocientista dá dicas importantes:

  • Desligue os alertas de celular, deixe de acompanhar redes sociais, checar e-mails mensagens e coloque o telefone no modo avião sempre que precisar descansar;
  • Busque atividades que ajudem a distrair o pensamento, como regar uma planta, cozinhar ou ler um livro;
  • Obrigue-se a experimentar a calma, a tranquilidade, o silêncio e respirar o ar puro;

Não deixe para depois: comece hoje mesmo: divirta-se, respire ar puro e relaxe a mente!

Fonte: msn

 

Condividi su Whatsapp Condividi su Linkedin
Nascida e criada em São Paulo, é publicitária formada pela Faculdade Cásper Líbero e Master em Programação Neurolinguística. Trabalha como redatora publicitária, redatora de conteúdo e tradutora de inglês e espanhol. Apaixonada por animais e viagens, morou no Canadá e no Uruguai, e não dispensa uma oportunidade de conhecer novos lugares e culturas.
Você está no Facebook?

Curta as mais belas fotos, dicas e notícias!

Você está no Pinterest?

As fotos mais bonitas sempre contigo!

Siga no Facebook
Siga no Pinterest