Atenção para os sintomas de câncer no pâncreas, doença que acomete Lúcia Alves

Condividi su Whatsapp Condividi su Linkedin

Normalmente, quando o câncer de pâncreas é diagnosticado, ele já se encontra em estágio avançado. É um tipo de câncer que acomete pessoas acima dos 55 a 60 anos de idade e se espalha facilmente para outros órgãos do corpo. O diagnóstico precoce é imprescindível para aumentar as chances de cura.

Quais são os sintomas?

Esse tipo de tumor pode se desenvolver de forma silenciosa, ou seja, o paciente pode ficar assintomático. Mas, conforme a doença avança, alguns sintomas podem ser identificados:

Piora ou aparecimento súbito do diabetes

Perda de peso involuntária

Falta de apetite

Dor abdominal (parte superior)

Dor na região lombar Icterícia (amarelamento das mucosas)

Fezes claras

Urina mais escura

Coceira na pele (decorrente dos sais biliares)

Trombose venal profunda

Qualquer dos sintomas citados não deve passar despercebido pelo paciente, que deve procurar ajuda médica o quanto antes.

“Tenha em mente que 80% dos pacientes com tumor de pâncreas já chegam ao médico com uma doença metastática ou sem condições para uma cirurgia”,

observa Inacelli Caires, chefe do Serviço de Unidade de Hemoterapia, Hematologia e Oncolologia do HC-UFPE (Hospital das Clínicas da Universidade Federal de Pernambuco).

Quais os tratamentos?

Isso depende do tipo e do estágio da doença, além das condições gerais de saúde do paciente. Na maioria das vezes, é realizado com a ajuda de uma equipe multidisciplinar (oncologista, cirurgião, patologista, radiologista, especialista em dor etc.).

As estratégias terapêuticas que os médicos têm à disposição são a cirurgia (pode ser até minimamente invasiva como a laparoscópica ou a robótica), radioterapia, quimioterapia, além de outros medicamentos que serão indicados nas seguintes condições:

Tumores pequenos e iniciais: a cirurgia é tratamento local para retirada do tumor e é a única opção que oferece chance de cura;

Tumor maior, com maior risco de células circulantes: começa com quimioterapia; algumas vezes inclui radioterapia e, depois, cirurgia;

Presença de metástase: nesse caso, a prioridade não é mais a cirurgia, mas um tratamento que alcance todos os pontos da doença em outros órgãos, o que se faz por meio da quimioterapia paliativa.

O câncer de pâncreas já tem terapias-alvo (fármacos específicos que combatem células cancerígenas), como os inibidores de PARP ou a imunoterapia.

Como prevenir?

Nem sempre é possível prevenir um tumor no pâncreas, especialmente quando ele se relaciona a fatores genéticos ou ao histórico familiar. No entanto, você pode reduzir o risco de ter esse tipo de câncer adotando hábitos de vida saudáveis, como evitar o tabagismo e o consumo excessivo de álcool, investir em algum tipo de atividade física, além de manter equilibrados dieta e peso. Todas essas medidas previnem também outras doenças crônicas, como o diabetes, enfermidade considerada fator de risco para esse tipo de tumor.

Fonte: Uol Viva Bem

Condividi su Whatsapp Condividi su Linkedin
Nascida e criada em São Paulo, é publicitária formada pela Faculdade Cásper Líbero e Master em Programação Neurolinguística. Trabalha como redatora publicitária, redatora de conteúdo e tradutora de inglês e espanhol. Apaixonada por animais e viagens, morou no Canadá e no Uruguai, e não dispensa uma oportunidade de conhecer novos lugares e culturas.
Você está no Facebook?

Curta as mais belas fotos, dicas e notícias!

Você está no Pinterest?

As fotos mais bonitas sempre contigo!

Siga no Facebook
Siga no Pinterest