Meditar

Cody encorajou seus seguidores a meditar ao revelar que nunca pularia uma sessão de meditação. “[Meditação] é uma maneira fácil de acalmar sua mente, diminuir a ansiedade, diminuir a depressão e diminuir a inflamação em seu cérebro”, disse ele no vídeo. O especialista acrescentou que medita 10 minutos por dia e que melhora sua qualidade de vida geral.

Um estudo da Universidade da Califórnia em Los Angeles (UCLA) apoiou as palavras de Cody, pois revelou que os meditadores de longo prazo tinham cérebros mais bem preservados do que os não meditadores à medida que envelheciam.

Os participantes que meditavam há cerca de 20 anos tinham mais volume de massa cinzenta, que contém a maior parte dos corpos celulares neuronais do cérebro, enquanto aqueles que não meditaram ao longo da vida tinham um volume de massa cinzenta que não era tão pronunciado.

Reduzir o álcool

A terceira dica do especialista foi não ingerir bebidas alcoólicas.

“O álcool inflama seu cérebro diretamente e deprime você”, afirmou o neurocientista no vídeo.

De acordo com o American Addiction Centers , tanto o consumo excessivo de bebidas alcoólicas a curto quanto a longo prazo podem ter efeitos negativos no cérebro. O álcool pesado e prolongado pode resultar em problemas de aprendizado e memória e até mesmo levar ao desenvolvimento, ou piorar condições de saúde mental.

Fazer exercícios

“Eu nunca ficaria tão ocupado a ponto de não poder malhar”,

disse o neurocientista no vídeo, complementando que a atividade física libera BDNF, uma proteína neural que diminui a névoa cerebral e aumenta sua capacidade de aprender.

Durante o exercício, a frequência cardíaca aumenta e o fluxo sanguíneo para o cérebro também. Diz-se também que o exercício reduz o mau humor e o estresse geral, liberando substâncias químicas como dopamina e endorfinas que fazem você se sentir feliz.
Também foi comprovado que as pessoas que se exercitam são mais felizes, menos estressadas e ansiosas do que aquelas que não o fazem.

O último item listado pelo neurocientista foi a indecisão.

“Nossos cérebros são feitos para decidir as coisas, agir sobre as coisas e aprendermos com o fracasso”,

disse ele no final de seu vídeo. Cody considerou o tripé “agir, avaliar e ajustar” como o caminho do aprendizado.

Segundo a plataforma de meditação Headspace, a preocupação é a raiz da incapacidade de tomar decisões. Quando alguém está preocupado com as escolhas que precisa fazer ou com os resultados potenciais dessas escolhas, geralmente responde com evasão.

Embora possa parecer mais fácil permitir que sua mente se distraia e evite tomar decisões, ela eventualmente o alcança e fará com que você entre em um estado de preocupação e perda de foco.

Tomar decisões com firmeza pode ajudá-lo a se concentrar melhor a longo prazo e toda vez que você toma uma decisão, você ensina seu cérebro a se concentrar melhor em uma coisa de cada vez. Isso também resulta em menos confusão mental, reduz o estresse e diminui os níveis de ansiedade.

Fonte: saúde IG