Depilação: quais são os riscos da luz pulsada? Contra-indicações e quando NÃO fazer

Condividi su Whatsapp Condividi su Linkedin

Depois de séculos de depilação dolorosa e lâminas de barbear ineficientes, mulheres e homens do terceiro milênio finalmente encontraram uma solução quase permanente para os pelos indesejados. Dos primeiros lasers de alexandrita, à luz pulsada, aos lasers de diodo, a evolução tecnológica agora oferece diferentes métodos para depilação definitiva. Mas cuidado, pois por trás da eficiência desses métodos existem alguns perigos, dos quais nem todos estão cientes e dentre estes, infelizmente, nem mesmo os operadores.

A ANSES, Agência Francesa de Saúde, Alimentação e Segurança do Trabalho, em recente comunicado de imprensa alerta sobre os riscos decorrentes do uso inadequado da tecnologia IPL (luz intensa pulsada) e estabelece diretrizes para uso correto e prevenção. Entre todos eles, ele destaca a importância de fornecer uma formação abrangente ao pessoal médico ou aos operadores estéticos.

Como funciona a luz pulsada?

A luz pulsada funciona graças a uma tecnologia semelhante à do laser. O feixe de luz age incidindo sobre a melanina contida no bulbo capilar, aquecendo-o e fazendo-o rebentar permanentemente. Por esse motivo, a luz pulsada é mais eficaz contra cabelos escuros e onde há contraste com a pele branca.

São necessárias várias sessões para um resultado satisfatório e duradouro.

A tecnologia de luz pulsada também é utilizada para a descoloração de manchas na pele, para fotorejuvenescimento e para o tratamento de algumas doenças dermatológicas.

Por que a luz pulsada pode ser prejudicial e quais são os riscos

A principal preocupação que levou à divulgação do comunicado de imprensa prende-se com o facto de os tratamentos com luz pulsada também poderem ser realizados por pessoal não médico. Além disso, dispositivos de luz pulsada para depilação permanente para uso doméstico, sem a supervisão de um especialista, estão cada vez mais difundidos no mercado.

Entre os riscos e efeitos colaterais mais frequentes estão queimaduras, aparecimento de eritema e bolhas. Além disso, como a luz despigmenta a melanina presente na pele, pode alterar a cor das lesões cutâneas e, assim, retardar a detecção precoce de cânceres de pele, como o melanoma.

Embora a luz pulsada afete inicialmente apenas o folículo piloso, na realidade existem alguns fatores de risco relacionados às características da pele da pessoa, ao uso de certos medicamentos e a algumas condições particulares, como gravidez e tempo de alimentação. A exposição recente à luz solar antes ou após o tratamento também pode causar queimaduras.

Por último, mas não menos importante, a luz pulsada pode danificar seus olhos e visão.

Como prevenir efeitos colaterais

No entanto, para não deitar fora o bebé com a água do banho, a agência francesa do consumidor aconselha que os profissionais de saúde e bem-estar e os consumidores evitem quaisquer efeitos adversos.

Em primeiro lugar, deve ser assegurada uma formação completa aos operadores, que lhes permita identificar, por exemplo, situações que exijam um diagnóstico dermatológico prévio ao tratamento.

Além disso, os fabricantes de dispositivos IPL para operadores não profissionais devem fornecer aos consumidores melhores informações sobre contraindicações e precauções a serem tomadas antes de cada sessão de depilação.

Quando NÃO fazer luz pulsada

Existem situações e condições para as quais é melhor evitar os tratamentos com luz pulsada:

  • em primeiro lugar, na presença de anormalidades da pele ou doenças de pele. Mesmo aqueles com histórico familiar de câncer de pele devem consultar um dermatologista primeiro;
  • você não pode se expor à luz UV natural ou artificial antes ou depois da sessão;
  • a luz pulsada também é contraindicada em indivíduos que estejam tomando medicamentos fotossensibilizantes ou anticoagulantes;
  • não deve aplicar produtos cosméticos, autobronzeadores, óleos, etc., antes da sessão;
  • a luz pulsada não é indicada para pessoas albinas, para quem tem cabelos despigmentados ou fofos;
  • a luz pulsada não deve ser usada para depilação das sobrancelhas, para evitar danos aos olhos;
  • também não é recomendado para menores de 15 anos, grávidas, lactantes ou para quem faz tratamentos hormonais;
  • finalmente, deve ser evitado se houver uma tatuagem na área a ser tratada.

Precauções para profissionais

  • Use óculos de proteção e evite remover os pelos das áreas próximas aos olhos;
  • é aconselhável depilar a área a ser tratada previamente e lavá-la com sabão normal;
  • evitar o uso de anestésicos durante uma sessão de LIP;
  • evite expor a mesma área ao feixe de luz pulsada mais de uma vez durante a mesma sessão;
  • deixe pelo menos um mês entre as sessões.

Fonte: ANSES

Condividi su Whatsapp Condividi su Linkedin
Após terminar o bacharelado e o mestrado em tradução, tornou-se jornalista ambiental. Ganhou o prêmio jornalístico “Lidia Giordani”.
Você está no Facebook?

Curta as mais belas fotos, dicas e notícias!

Você está no Pinterest?

As fotos mais bonitas sempre contigo!

Siga no Facebook
Siga no Pinterest