Responsabilidade afetiva: a transparência é fundamental para o sucesso das relações

“Tu te tornas eternamente responsável por aquilo que cativas”, diz a raposa ao Pequeno Príncipe, na obra homônima de Antoine de Saint-Exupér, em uma das passagens mais citada do livro. Estamos falando de responsabilidade afetiva. Mas até que ponto uma pessoa pode ser responsável pelo sentimento do outro? De certo, não somos obrigados a retribuir … Continue lendo Responsabilidade afetiva: a transparência é fundamental para o sucesso das relações